Projovem vai abrir vagas para curso de Piscicultura em Corumbá

Articulação entre o prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha de Oliveira; deputado estadual Paulo Duarte, e o senador Delcídio do Amaral, todos do PT, garantiu cerca de R$ 2 milhões junto ao Governo Federal, para desenvolvimento do Programa Nacional de Inclusão de Jovens, na modalidade Projovem Trabalhador. Esta será a segunda edição na cidade e vai possibilitar a formação profissional de mil jovens com idade entre 18 e 29 anos, nas áreas de Piscicultura, Metalmecânica, Vestuário, Saúde, Estética, Alimentação, além de Qualificação Social com noções de Cidadania e Ética Profissional e Introdução à Informática.

O programa é desenvolvido por meio de uma parceria entre o Ministério do Trabalho e Emprego e a Prefeitura de Corumbá. Conforme informações do gerente de Ações para a Juventude, Márcio Cavasana, a preocupação do prefeito Ruiter Cunha foi viabilizar a realização de cursos ligados às características da região, caso específico da piscicultura, atividade que poderá ser melhor difundida a partir da formação de profissionais.

A segunda edição do Projovem Trabalhador começou ser articulada em abril, quando o deputado Paulo Duarte apresentou indicação na Assembleia Legislativa, solicitando apoio do senador Delcídio do Amaral, para liberação de recursos necessários para o desenvolvimento do programa. Na quinta-feira (09), o ministro do Emprego e Trabalho, Carlos Lupi, confirmou a inclusão de Corumbá, bem como a disponibilização de outras mil vagas para Três Lagoas e mais 5,5 mil para o Governo do Estado distribuir entre as demais cidades sul-mato-grossenses.

Na primeira edição, iniciada em 2009, outras mil vagas foram disponibilizadas. O programa foi encerrado em 2010 com a formatura de 828 pessoas nas áreas de Meio Ambiente, Saúde e Promoção da Qualidade de Vida, com 269 concluintes; Turismo e Hospitalidade, com 231; Telemática, com 220; e Construção e Reparos, com 108 pessoas capacitadas. O programa oferece condições para elevação escolar, inserção no mercado de trabalho e combate à pobreza. É subdividido em duas áreas: qualificação social, que busca inserir o jovem na condição de cidadão, ensinando direitos e deveres, fazendo com que ele busque o seu espaço na sociedade; e qualidade profissional, onde são aprendidos os ofícios que utilizarão no mercado de trabalho.

Durante o curso, cada jovem receberá uma bolsa no valor total de R$ 600,00, em parcelas mensais, como incentivo durante os seis meses de duração do programa, além de alimentação diária nos intervalos das aulas e vale-transporte. Além disso, os alunos que concluírem o curso com conceito satisfatório poderão ser inseridos no mercado de trabalho.