Povo das Águas: mais duas ações serão realizadas neste semestre

Criado para atender a população ribeirinha do Pantanal, a Ação Social Povo das Águas terá mais duas edições ainda neste primeiro semestre de 2011. Entre os dias 08 e 11 de junho, a equipe multidisciplinar da Prefeitura de Corumbá levará serviços médicos, odontológicos, sociais e educacionais até os moradores da parte baixa do rio Paraguai (Formigueiro, Morrinho, Porto Esperança e Forte Coimbra). Ainda em junho, o trabalho será novamente realizado na região do Taquari (Corixão, Cedrinho, Cedro, São Domingos e Bracinho).

O objetivo da Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais, coordenadora do programa, é realizar mais cinco ações ribeirinhas até o final do ano. "Muitas destas famílias não têm condições de vir até a cidade, seja pela distância ou pelo custo da viagem. São pessoas humildes, que sempre viveram nestes locais afastados, tirando sustento da pesca e de pequenas plantações. Foram todos cadastrados pela Secretaria de Assistência Social, Defesa Civil e recebem atendimentos médicos e sociais durante o Povo das Águas", destacou a primeira-dama Beatriz Cavassa de Oliveira, responsável pela pasta.

Cada uma destas regiões receberá três ações em 2011. Além do Taquari, a parte alta do pantanal sul-mato-grossense, na divisa com o Mato Grosso, também já recebeu o atendimento da equipe da Prefeitura. Além de remédios e vacinas, o programa forneceu lonas, alimentos, agasalhos e cobertores às famílias ribeirinhas. "Nós antecipamos ao inverno e conseguimos distribuir roupas e colchas antes da chegada do frio. Era uma de nossas metas", complementou a secretária. As peças foram doadas pela Receita Federal.

Segundo o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), o atendimento à população ribeirinha é uma das prioridades de sua administração. "O Povo das Águas atende esta população tão especial, pessoas que garantem a existência deste Pantanal. Por isso é fundamental que este projeto continue", afirmou o prefeito. "Precisamos ter um olhar mais atento, direcionado para as necessidades destas pessoas. Todos que aqui habitam precisam muito destes atendimentos", completou.

Realidade

A chegada Ação Social Povo das Águas é sempre muito comemorada pelos ribeirinhos. "Fico muito alegre quando me avisam que a ação está chegando aqui. Durante muitos anos fomos uma comunidade esquecida. Graças a Deus isso mudou muito", comentou Alair Lopes Nascimento, 67 anos, moradora do Porto Sairu, última localidade visitada pela sétima edição do Povo das Águas, entre os dias 22 e 24 de março. "Esta é uma conquista muito importante para todos nós", disse a pantaneira, que completou: "Nasci e criei meus filhos aqui no Bracinho. Amo essa região e não pretendo sair daqui nunca".

"A água acabou com todas as minhas plantas. Eu tinha bastante mandioca, banana, só que agora está tudo inundado. Mas fazer o que? Isso é obra de Deus. Tem que aguentar o que Ele quer", comentou Bernardo Tássio, de 81 anos, pantaneiro legítimo, nascido e criado na região da Barra do São Lourenço, assistido pela oitava edição. Graças a atuação do Município, ele e outros moradores da localidade terão condições de encarar, com mais tranqüilidade, o período de cheia.

"Está tudo inundado. Só vamos conseguir mexer na terra de agosto em diante. Até lá teríamos que aquentar quietos aqui", comentou Ruivaldo Andrade, de 49 anos, nascido na região do Paiaguás. Para o pequeno agricultor, o programa chegou até parte alta do Pantanal em ótima hora. Com a cesta básica e de legumes oferecida pela Prefeitura, a situação dele e da família fica um pouco mais cômoda. "Aproveitei para ir ao dentista. Estava com um problema na gengiva, resolvi e até já peguei remédio", disse Ruivaldo.

"Hoje temos o apoio do prefeito Ruiter. Desde que ele entrou nossa situação melhorou muito". A constatação de Carmo Pillar, 39, incluiu também os investimentos feitos na escola da região do Paraguai Mirim. "Ele está cumprindo tudo que tratou com a gente", reforçou o ribeirinho.