Política salarial para professores da Reme favorece qualificação

Com a nova política de reajuste salarial para os servidores do Poder Executivo de Corumbá, em vigor de forma retroativa a 1º de junho, o menor salário do professor graduado e em início de carreira da Rede Municipal de Ensino (Reme), com carga de 20 horas, passa de R$ 1.318,31 para R$ 1.408, um reajuste de 6,8%. É o que estabelece a Lei Complementar nº. 143, encaminhada pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) e aprovada pela Câmara de Vereadores na noite da terça-feira (28), que inclui a concessão do auxílio alimentação e adicional de incentivo à produtividade. O novo valor é superior ao que o Governo do Estado paga aos seus professores com a mesma carga horária.

Com mais este reajuste, o piso do profissional de educação (professor) passou de R$ 1.005 para R$ 1.228, com a incorporação da regência de 16,25%, e um reajuste de 5,11%. A lei estabeleceu ainda que os professores com pós-graduação passam a ter um ganho de 27,5% acima dos profissionais graduados. Antes, era de 25%. Dessa forma, o graduado em início de carreira que recebia R$ 1.318,31 passa para R$ 1.408. Já os em final de carreira passam a receber R$ 2.931,30. Antes, o salário era de R$ 2.597,30, correspondendo a um reajuste de 12,88%, sempre considerando a carga de 20 horas. Um professor do Estado nas mesmas condições recebe R$ 2.801,83.

Já professor pós-graduado em início de carreira, também com carga de 20 horas, passa a ganhar R$ 1.745,70, 8,4% acima do salário anterior, que era de R$ 1.610,39. No Estado, profissional na mesma situação recebe R$ 1.485,04. O pós-graduado, em fim de carreira, que antes recebia R$ 3.209,13, passa para R$ 3.688,73, reajuste de 14,95%. O Estado paga R$ 2.988,63. O professor com mestrado em início de carreira, que ganhava R$ 2.019,30, passa para R$ 2.144,80, reajuste de 6,22%, superior ao do Estado, que recebe R$ 1.531,43. Já para quem está em final de carreira, o salário sobe de R$ 4.065,68 para R$ 4.583,12, reajuste de 12,73%. O Estado paga 3.082,01.

Com relação ao professor que possui doutorado, mas em início de carreira no Município, o salário passou de R$ 2.486,63 para R$ 2.636,00, reajuste de 6,01%. O Estado, para que está na mesma situação, paga R$ 1.531,43. Já quem está em final de carreira e que recebia R$ 5.044,60, passa a ganhar R$ 5.683,90, aumento de 12,67%. Para professor na mesma situação, o Estado paga R$ 3.082,01. Essa nova política salarial é uma reafirmação do propósito do prefeito Ruiter de valorizar a categoria, entendendo que disso depende a qualidade da educação no município, que vai refletir diretamente no desenvolvimento humano e social da população local.