Déficit em queda: Corumbá inicia construção de mais 260 moradias

As primeiras 260 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida em Corumbá começam a ser construídas em julho deste ano. O assunto foi amplamente debatido no final da tarde desta terça-feira (14), durante reunião no gabinete do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) com representantes da Caixa Econômica Federal, da Vale e da construtora Paiva e Empreendimentos Ltda. O novo conjunto integra o projeto Corumbella II, cujo contrato no valor de R$ 11.896.045,14 foi assinado no final de 2010 pelo chefe do executivo corumbaense e a Caixa.

A reunião no gabinete do prefeito marcou a assinatura de um termo aditivo, no valor de R$ R$ 1,32 milhão, viabilizados pela Fundação Vale, que serão aplicados em obras de infraestrutura e saneamento, como asfalto e rede coletora e ligações domiciliares de esgoto no novo conjunto. O aditivo é parte de uma parceria estabelecida por Ruiter com a mineradora, em fevereiro de 2010, quando foram anunciados investimentos nas áreas de gestão pública, infraestrutura urbana, desenvolvimento econômico e, principalmente, habitação.

O encontro teve a participação do superintendente da Caixa no Mato Grosso do Sul, Paulo Antunes Siqueira, que estava acompanhado do engenheiro da instituição José Luiz Silva e do gerente local Roberto Ishii; do diretor de ferrosos na região Centro Oeste da Vale, Alexandre Campanha; diretores da construtora Paiva, Caio Paiva e Everton Rubênio; além dos secretários Cássio Augusto da Costa Marques (Gestão Governamental) e Ricardo Ametlla (Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos); subsecretários Luiz Mário Romão (Habitação) e Lamartine Figueiredo Costa (Relações Institucionais).

Ruiter comemorou a ampla parceria envolvendo a Prefeitura, a Fundação Vale, a Paiva Empreendimentos e o Governo Federal, por meio da Caixa Econômica Federal, que está permitindo a construção de mais unidades habitacionais, contemplando famílias com renda de zero a três salários. Segundo ele, o ato oficializado nesta terça-feira vem ao encontro de uma estratégia adotada no início da sua primeira gestão, no que se refere ao problemático déficit habitacional local, cujos índices estão sendo reduzidos significativamente nos últimos anos.

O novo conjunto será edificado em uma área adquirida pela Prefeitura (quatro quadras) no Bairro Guatós, junto ao Anel Viário, próximo à Escola Municipal Almirante Tamandaré. O prefeito adiantou que estas serão as primeiras unidades dentro do programa Minha Casa Minha Vida, lançado em 2009 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, destinadas a famílias de baixa renda. Ressaltou que o empreendimento está sendo possível graças a uma ampla parceria "que vai contribuir em muito para atingirmos nosso objetivo que é garantir um teto para as famílias que precisam".

Na reunião, o prefeito conversou bastante com o superintendente da Caixa, Paulo Antunes, tratando já da oficialização do Corumbella I, também dentro do programa Minha Casa Minha Vida, que vai permitir a construção de mais 400 unidades habitacionais para famílias de baixa renda, até três salários. O projeto está em tramitação na Caixa e, aprovado, será um novo marco na administração de Ruiter que busca reduzir o déficit habitacional na cidade em mais de 55%.

"São mais casas para atender a população corumbaense. A Caixa se sente feliz por estar contribuindo com a redução do déficit habitacional na cidade", afirmou Paulo Antunes, lembrando que este número deve ser ampliado a partir da conclusão dos trâmites legais para execução do Corumbella I. Alexandre Campanha, da Vale, informou que a liberação de R$ 1,32 milhão, faz parte da política adotada pela mineradora, de investir no social, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da família corumbaense.