Corumbá representa fronteiras brasileiras em Comissão Antidrogas

Por ser uma das cidades que melhor representam o aspecto fronteiriço do Brasil com os países da América do Sul, Corumbá foi escolhida por membros da Comissão Especial de Políticas Públicas de Combate às Drogas da Câmara dos Deputados para sediar o Seminário Estadual de Políticas Públicas de Combate às Drogas. Isso faz de Mato Grosso do Sul o único estado onde a iniciativa não é realizada na capital. Os detalhes do evento, que ocorre nos dias 1º e 2 de julho no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez, foram discutidos nesta sexta-feira (24) entre o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) e o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), relator do seminário estadual.

Na ocasião, o parlamentar lembrou que a comissão foi instalada por solicitação da Presidência da República com o propósito de promover estudos e proposições de políticas públicas e de projetos de lei destinados a combater e prevenir os efeitos do crack e de outras drogas ilícitas. Neste sentido, a realização do seminário estadual, cujo coordenador é o também deputado federal Fábio Trad (PMDB-MS), é de extrema importância para ouvir e debater com a sociedade em geral e com os envolvidos com a questão, em particular, opiniões, experiências e sugestões que permitam a formatação de uma proposta consistente em contribuição com a política nacional antidrogas.

"Desse seminário em Corumbá queremos tirar um documento mais forte em relação à situação das cidades fronteiriças – simbolizando todas elas nos 11 estados com fronteira, do Amapá ao Rio Grande do Sul – que, por tal condição, acabam sendo chamadas de ‘porta de entrada de drogas'", afirmou Mandetta, prosseguindo: "Na verdade, é nessas cidades que se tem a grande maioria da população querendo ações do Poder Público, principalmente do Governo Federal, no sentido de enfrentar efetivamente o problema das drogas. Ou seja, se tem porta de entrada, é preciso colocar porteiro, estabelecer regras e políticas mais eficazes nessas regiões".

Para Ruiter, o seminário estadual e a atuação da Comissão Especial são fundamentais para o Brasil avançar decisivamente na integração de suas políticas voltadas à prevenção e ao combate às drogas, bem como à recuperação das pessoas tomadas pelo vício e à redução dos danos dele resultantes. "Todos sabemos que a problemática das drogas não diz respeito apenas ao combate, por exemplo, que não se trata somente de uma questão de segurança pública, mas também social e de saúde pública. E a grande contribuição desta iniciativa talvez seja olhar o problema de todos esses ângulos e com foco na integração das políticas", afirmou.

Neste sentido, Mandetta observou que diversas políticas estão sendo levadas em conta, a começar pelo campo da prevenção, que envolve a escola em tempo integral, o esporte, as campanhas publicitárias voltadas para cada região do Brasil, entre outros. Na área social, ele mencionou as políticas de apoio à família, com o aumento de repasse de recursos às prefeituras para ampliação da presença do município nas comunidades, bem como o fortalecimento dos Centros de Apoio Psicossocial (CAPS – Álcool e Drogras). Tudo isso além da ampliação da participação do SUS na questão, do aparelhamento das polícias federais e da modernização da legislação brasileira sobre o assunto.

Por fim, o prefeito agradeceu a escolha de Corumbá para sediar um evento tão relevante sobre um assunto que interfere drasticamente na segurança das famílias e em todo o futuro do País quanto à educação e à saúde pública. Ele afirmou esperar que o município pantaneiro ofereça contribuição substancial na formulação das políticas brasileiras nessa área, principalmente por representar a faixa de fronteira, regiões merecedoras de cada vez mais atenção quanto a recursos e políticas públicas. Ruiter destacou também o apoio do parlamentar à cidade na área da saúde, adiantando que os projetos estão sendo aprontados para o pleito de mais verbas por meio de emendas parlamentares.