Com ampliação, Pronto Socorro humaniza atendimento na cidade

O novo Pronto Socorro de Corumbá está sendo dotado de toda a estrutura necessária para garantir um serviço de qualidade à população. A Prefeitura Municipal está projetando inclusive a implantação do acolhimento de classificação de risco, um dispositivo que integra a Política Nacional de Humanização do Sistema Único de Saúde (SUS), do Ministério da Saúde, para agilizar o atendimento nas unidades de urgência e emergência. As obras de reforma e ampliação estão em pleno andamento e a previsão é que, em setembro, o atendimento passe a ocorrer de forma integral, tanto no setor destinado a casos mais graves, como também os mais simples, como consultas, inalação e medicação.

A reforma e ampliação do Pronto Socorro estão sendo executadas com recursos próprios da Prefeitura. A primeira etapa (a antiga estrutura do PS) já foi concluída. Em toda a obra estão sendo aplicados cerca de R$ 450 mil, incluindo serviços necessários nos sistemas hidráulico e elétrico do prédio. A segunda etapa foi iniciada em junho e deve estar concluída até o início de setembro. Os investimentos abrangem toda a estrutura onde, antigamente, funcionava o Ambulatório Municipal e que, durante a reforma do outro setor, abrigou o Pronto Socorro.

Com a obra concluída, o ambulatório será integrado à estrutura do Pronto Socorro, que terá o dobro do espaço da antiga unidade de saúde. "Passaremos a contar com uma estrutura bem maior, com mais conforto para atender a população", explicou o chefe do Pronto Socorro, enfermeiro Franz Martins Eger. Conforme ele, o projeto é amplo e vai disponibilizar duas entradas. Uma será pela Rua Colombo, específica para atendimentos graves, com acesso inclusive para as ambulâncias, enquanto a outra (casos mais simples) será pela Rua XV de Novembro.

"A reforma que está sendo feita no prédio do antigo Ambulatório Municipal será de extrema importância, para um melhor atendimento à população. Hoje, está tudo concentrado no prédio onde funcionava o próprio Pronto Socorro. São casos de emergências, os mais simples, entre outros. Por isso, o grande fluxo de pessoas pelos corredores e até mesmo tomando soro em uma área de circulação. Com a conclusão de toda a obra, isto vai mudar. Teremos salas específicas e um atendimento humanizado", explicou Franz.

Segundo o enfermeiro, a partir da entrada em funcionamento de toda a nova estrutura do Pronto Socorro, a Prefeitura terá uma sala para classificação de risco, que será extremamente importante para priorizar atendimento, dando preferência para os casos mais graves e urgentes. "Estrutura para isto nós teremos. A equipe já foi capacitada para implantação do sistema que hoje, no âmbito do Mato Grosso do Sul, existe apenas em Campo Grande e Dourados", observou.

Em reforma

A parte que está sendo reformada hoje pela Prefeitura vai permitir a implantação no local de sala de espera; banheiro, inclusive com acessibilidade; recepção; sala de classificação de risco; dois consultórios médicos; espaço com macas para atendimentos rápidos; sala de inalação; sala de medicação e gabinete odontológico. A sala de inalação, por exemplo, contará com uma rede de oxigênio, descartando os ultrapassados cilindros de oxigênio. A rede estará interligada à usina que a Prefeitura implantou no Hospital de Corumbá. A Prefeitura também vai construir em, uma área localizada em frente à sala de medicação e gabinete odontológico, uma ala destinada ao isolamento, para atender pacientes com casos de doenças contagiosas.

Concluído

A primeira etapa da obra física já está concluída. O antigo prédio do PS está dotado de rampa de acesso para ambulância e veículos (transporte de pacientes em casos graves); área coberta com guarita; higienização ao lado da sala de emergência; uma segunda sala de emergência que será dotada com dois respiradouros para adultos e um infantil, necessário ao atendimento a pacientes enquanto aguardam vagas na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital; sala de Raio-X ampliada e reposicionada para que o enfermo não precise mais sair do prédio para ser atendido; sala de atendimento ortopédico (aplicação de gesso inclusive); farmácia; sala de sutura; sala de curativo; banheiros para visitantes de pacientes em atendimento no local; sala de vacinas; observação pediátrica; sala de laudo de Raio-X; repouso para plantonistas (masculino e feminino); duas salas de observação (masculino e feminino); administração e uma copa.

"Hoje o atendimento está tumultuado. Tudo está concentrado aqui devido à obra no outro setor. Quando a obrar for concluída, não teremos este fluxo de pessoas nesta área, mesmo porque, será destinada a casos urgentes, mais graves", comentou Franz, lembrando que os equipamentos e mobiliário já foram adquiridos pela Prefeitura e serão instalados quando o prédio estiver totalmente concluído, inclusive aparelhos de ar condicionado (o novo PS será totalmente climatizado). "São mesas, cadeiras, leitos, aparelhos de ar condicionado, material de atendimento médico de urgência e emergência tudo novo, tudo para prestar um bom serviço à população", destacou.