Prefeitura cobra providências para solucionar problema da ponte

A Prefeitura de Corumbá está acompanhando de perto o problema na ponte sobre o Rio Paraguai, na região do Porto Morrinho, distante 70 quilômetros da sede do município, resultante do choque, neste domingo (08), de uma barcaça de bandeira paraguaia contra o pilar central. Com o acidente, um vão de cerca de 20 centímetros se abriu, interditando o tráfego, liberado mais tarde apenas para veículos de pequeno porte.

Na manhã desta segunda-feira (09), o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) informou que a situação é preocupante e que o Município já está cobrando as devidas providências no sentido de restabelecer as condições normais de tráfego. Por orientação dele, o secretário municipal de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos, Ricardo Campos Ametlla, entrou em contato com o chefe local da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul), engenheiro Luiz Mário Anache, para tratar da questão.

"Já estamos tomando todas as providências necessárias. Técnicos do DNIT (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes) estão sendo aguardados na cidade, para fazer uma vistoria no local e tomar as devidas providências", explicou Ametlla. Conforme ele, o grupo deverá estar acompanhado de um responsável da empresa que construiu a ponte, bem como do secretário estadual de Obras Públicas e Transportes, Wilson Cabral Tavares. "Vamos acompanhar todo o processo, apoiando no que for possível, conforme orientação do prefeito Ruiter", observou.

Provocado por um comboio composto pelo empurrador "Dona Carmem", de bandeira Paraguaia, o acidente ocorreu no final da manhã de domingo e o tráfego no local ficou interditado por cerca de seis horas. Ainda ontem, a Marinha do Brasil, por meio do Comando do 6º Distrito Naval, interditou a navegação no trecho e anunciou abertura de inquérito para apurar responsabilidades, com prazo de conclusão de 90 dias.