Corumbaense: Ruiter recebe manifesto de indignação do presidente

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) recebeu nesta segunda-feira (02), do presidente do Corumbaense Futebol Clube, Francisco Vieira Neto, um manifesto de indignação do clube contra a Câmara Municipal de Corumbá. O documento, além de apresentar o descontentamento da equipe com a postura do Poder Legislativo, também solicita que o Executivo retire o projeto de lei que autorizava uma ajuda financeira, no valor de R$ 300 mil, para auxiliar nas despesas do único time profissional da cidade na Série A do Campeonato Estadual de Futebol de 2011.

O projeto foi encaminhado à Câmara de Vereadores no dia 20 de abril, depois que a diretoria do Corumbaense procurou o prefeito pedindo auxilio. "Estamos indignados com a situação que ocorreu na última semana na Câmara Municipal. Alguns vereadores, querendo fazer palco político com esta lei que o prefeito, na maior boa vontade, enviou para ajudar no crescimento do esporte local; certos indivíduos que, ainda que minoria, se manifestaram contra e disseram que a Prefeitura estava tirando dinheiro da Saúde para dar ao futebol, o que não é verdade", afirmou Vieira Neto.

Diante da deturpação do assunto, a diretoria do clube optou por requerer da Prefeitura a retirada do projeto do Legislativo. "As despesas do Corumbaense são muito grandes, na ordem de R$ 750 mil por ano, contando viagens, alimentação, moradia dos jogadores e da comissão técnica, folha de pagamento. Então, agora vamos buscar alternativas para encontrar parceiros que ajudem o clube a se manter no campeonato", continuou o presidente do Carijó da Avenida, apelido pelo qual a torcida trata o alvinegro pantaneiro.

Com a falta de apoio da Câmara Municipal, o time vai buscar novos patrocinadores para viabilizar o sonho de conquistar o título estadual e, consequentemente, o direito de representar Mato Grosso do Sul na Copa do Brasil de 2012. "Agora o time busca a reabilitação na competição, depois desta boa vitória no último sábado contra o Naviraiense (2 a 0), temos um jogo difícil contra o Ivinhema, fora de casa, onde também precisamos da vitória. Esperamos conseguir um parceiro que acredite no Corumbaense", completou o presidente.

Leia a nota entregue pelo clube:

Esse comunicado é um manifesto de indignação

Nessa semana, levamos a efeito uma decisão que honra a história do futebol corumbaense e põe fim ao oportunismo de alguns vereadores que ou ignoram a força desse esporte em nossa cidade ou, em flagrante desrespeito, usam o Corumbaense para ataques eleitoreiros. A diretoria do Clube, junto com a comissão técnica e jogadores, apresenta hoje o pedido de desconsideração do apoio financeiro solicitado ao Município de Corumbá em razão de o assunto ter se transformado numa indevida e aproveitadora polêmica, quando nada mais se pretendia a não ser o incentivo ao Corumbaense Futebol Clube, especialmente, para fazer frente às despesas com a participação no campeonato estadual.

Brasil afora, temos visto crescer as iniciativas do Poder Público de apoio ao futebol profissional. Em Mato Grosso do Sul mesmo, o Governo do Estado apóia oficialmente o Campeonato Estadual e alguns municípios como Rio Brilhante, Naviraí, Ivinhema, Maracaju, Itaporã e Dourados repassam recursos aos clubes que representam a cidade, todos devidamente aprovados pela Câmara Municipal local. Por isso, depois de muito bater de porta em porta desde dezembro de 2010, sem sucesso na busca de patrocínio da iniciativa privada e cientes da paixão do corumbaense por futebol, já em abril, após o início do Estadual, fomos ao prefeito Ruiter pedir que nosso Município reservasse uma cota de apoio financeiro ao time. Em planilhas, detalhamos os custos com salários, transporte, alimentação, material esportivo, despesas com enfermaria e hotelaria, além dos custos junto a Federação Estadual de Futebol. O orçamento chegou a R$ 750 mil.

Em resposta à solicitação, o prefeito Ruiter acenou com a possibilidade de apoio de R$ 300 mil. Ainda teríamos que correr atrás de outro tanto, mas a notícia animou o time. Como o repasse do recurso precisava de aprovação da Câmara, ficou a cargo da diretoria do Clube conversar com os vereadores em defesa do pedido. Assim fizemos. Antes de o projeto de lei ser colocado em votação, conversamos pessoalmente com os vereadores e todos demonstraram compreender as razões do Corumbaense. Em regime de urgência porque já corria o Estadual, o projeto foi enviado à Câmara ainda no mês de abril.

E para absurda surpresa nossa, muitos que pessoalmente haviam se declarado a favor do futebol profissional, passaram a utilizar a tribuna e o meio social para criticar a iniciativa do projeto, afirmando que o repasse ao Clube seria prejudicial à saúde de Corumbá. Dias antes, pessoalmente, nos afirmavam reconhecer a importância do projeto; dias depois, um comportamento completamente adverso, como se as pretensões do Clube pudessem ser causadoras de males para a saúde de Corumbá; como se fosse normal dar a palavra em compromisso e depois ignorá-lo com a mais dissimulada facilidade. É de entristecer. E indignar.

A quem se ache na razão de dizer que o incentivo não é merecido, diante da campanha insatisfatória do Clube no Campeonato, temos o dever de dizer que não estamos mesmo felizes com o nosso desempenho em campo e essa é também uma boa hora para pedir desculpas à torcida pela falta de gols. Mas há vontade e raça no gramado, há torcida nas arquibancadas e buscamos sempre melhor colocação na tabela. Resgatar o futebol de vitórias que encheu de alegria a nossa história é meta perseguida. Mas todos precisam de incentivo para ir longe, para estar entre os melhores. Ainda assim, uma coisa é criticar o desempenho do time, outra muito diferente é dizer que apoiar o futebol é deixar a saúde à míngua. É bem ao contrário.

Lembramos ainda com imensa satisfação e boa dose de orgulho da partida entre Botafogo e Corumbaense, que lotou o Estádio Arthur Marinho, com a presença até de autoridades de outras cidades em solidariedade ao hospital, porém estranhamente ignorada pela maioria dos vereadores. Uma festa bonita, dedicada à construção da UTI Neo Natal no Hospital onde alguns dos vereadores que hoje criticam a iniciativa ajudaram a construir uma dívida de 12 milhões de reais. Foi para diminuir os estragos que eles causaram à saúde que entramos em campo cheios de boa vontade. A mesma boa vontade que temos ao ceder o Clube Corumbaense para projetos sociais da prefeitura que formam a garotada pra um futuro de disciplina, ética e trabalho, valores que o esporte cultua e, infelizmente, mas infelizmente mesmo, vereadores da nossa cidade desconhecem.

Quem sabe, e cremos nisso, quando essa garotada e outras que amam o esporte assumirem as cadeiras na Câmara Municipal, o futebol corumbaense profissional será devidamente respeitado e incentivado. Até lá, o Corumbaense pede à torcida para que continue fiel ao nosso futebol, agradece o prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha de Oliveira, que honrou sua palavra e seguiu adiante com a iniciativa do incentivo, e por motivos que dão ao esporte a dignidade que sempre deve ter, pede a retirada do projeto de lei da Câmara Municipal, esperando, quem sabe, por parte da maioria dos vereadores o decoro adequado porque, dessa vez, pisaram na bola. E feio.