Corumbá quer sociedade combatendo a violência e o abuso sexual

A união entre poderes, a sociedade organizada e a família foi apontada pelo secretário Haroldo Ribeiro Cavassa, de Assistência Social e Cidadania, como fundamental para Corumbá combater de forma veemente, um problema que afeta diretamente a população infantojuvenil, a violência e o abuso sexual. A afirmação foi feita na tarde desta terça-feira (03), durante a abertura da Campanha Municipal de Combate e Enfrentamento à Violência e ao Abuso Sexual contra Crianças e Adolescentes, uma iniciativa da Prefeitura Municipal, com apoio de um grande número de parceiros.

A campanha foi aberta em ato ocorrido no Centro de Convenções do Pantanal de Corumbá Miguel Gómez, com as presenças de representes dos poderes executivo, legislativo, judiciário, além de outros segmentos da sociedade que se engajaram na luta, visando um amplo debate com foco em um tema relevante que tanto dano causa às crianças e adolescentes. "A responsabilidade cabe ao Poder Público, à sociedade e à família. Todos devemos ser agentes para acabarmos com esse tipo de violência contra as nossas crianças", pregou Haroldo.

A programação vai até 18 de maio, Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. O secretário afirmou que o momento é de união para o desenvolvimento de um trabalho participativo, com as presenças de todas as instituições públicas e os mais diferentes organismos, que4 já estão juntos nesta luta. A coordenação da campanha está a cargo da Secretaria de Assistência Social e Cidadania. Este ano, a iniciativa vai envolver alunos das redes municipal, estadual e particular de ensino, bem como a comunidade corumbaense. Esta união de forças foi exaltada pela secretária especial de Integração das Políticas Sociais, Beatriz Cavassa de Oliveira, que participou da abertura e já colocou sua equipe à disposição dos organizadores.

A campanha tem participação ainda das secretarias Especial de Integração das Políticas Sociais, Saúde e Educação; Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat); Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal; Delegacia de Atendimento à Infância e Juventude (DAIJ); Conselhos Municipais de Assistência Social, da Criança e do Adolescente, da Mulher e Tutelar; Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) e de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS); Programa Medidas Socioeducativas; Comissão Municipal de Enfrentamento a Violência de Crianças e Adolescentes (PAIR); Albergue, e das Casas de Acolhimento.

"Queremos alertar a sociedade, chamar a atenção de todos quando a este problema, massificar o assunto, alertar sobre a violência e o abuso sexual cometido contra as crianças e adolescentes. Estamos preocupados com esta situação e por isto mesmo, estamos iniciando esta campanha, como forma de debater o tema e combater este tipo de violência", reforçou.

O subsecretário de Relações Institucionais, Lamartine de Figueiredo Costa, representou o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) e enalteceu a realização. No entender dele, o tema é de grande relevância e vai ao encontro das "políticas públicas implantadas pelo prefeito, relacionadas à questão social". Lembrou que a responsabilidade tem que ser de todos, inclusive da sociedade e da própria família. "Nós, enquanto família, temos que aprender a cuidar dos nossos filhos e sermos solidários, cuidando também dos filhos dos vizinhos. Quem sabe, um dia, poderemos vir aqui, não para iniciar uma campanha, mas sim para comemorar uma vitória", pregou.

Cumprimento das leis

Para o vereador João Bosco da Silva e Souza (PT), além do engajamento de todos, é preciso também que as leis sejam cumpridas. Lembrou uma de 1997, que prevê fechamento de estabelecimentos comerciais que ‘recebem' menores de idade, com cassação de alvarás de funcionamento. "Estamos, na Câmara, levantando todas as leis aprovadas no passado, para que sejam cumpridas e há esta que contribui para combater a violência, o abuso e a exploração sexual de nossas crianças", destacou, sendo seguido pela psicóloga Silvia Regina Nakamatsu, gestora de Ações Sociais da Coordenadoria de Proteção Social e Especial da Secretaria Estadual do Trabalho e Assistência Social, que lembrou lei do deputado Paulo Duarte (PT), quer prevê participação de empresas no combate a estes tipos de crimes.

Silvia elogiou a iniciativa da Prefeitura, principalmente o envolvimento de toda a sociedade. "A violência sempre existiu, mas cada um fazendo a sua parte contribui para a redução. Por isso mesmo temos que trabalhar de forma articulada", ressaltou. A promotora de Justiça Lívia Carla Guadanhim Bariani Bobadilla Garcia, da Infância e Juventude, lembrou que é preciso trabalhar também a estrutura familiar, e que é preciso uma maior conscientização de todos, principalmente das pessoas que denunciam. Conforme ela, das "cinco ou seis denúncias que recebemos, se apurarmos uma é muito. As pessoas não querem se comprometer. É uma questão que vai além do processo judicial", revelou.

Palestras

A gerente de Programas e Projetos Sociais da Secretaria, Adelma Maria Pinto Galeano, fez uma explanação de como será a campanha. Conforme ela, a Prefeitura e os parceiros vão envolver principalmente a comunidade estudantil e a própria população corumbaense, no sentido de fomentar um amplo debate em torno do assunto, no sentido de construir políticas públicas para enfrentamento do problema e buscando soluções.

As palestras estão marcadas para o período de 04 e 06 de maio, sempre a partir das 8 horas. Os estudantes vão participar ainda de um concurso de frases, previsto para os dias 09 e 10, com apoio da Secretaria de Educação. Para o dia 16 de maio está prevista distribuição de panfletos nas áreas de atuação das equipes dos CRAS, das Estratégias de Saúde da Família, bem como na fronteira com a Bolívia e na entrada da cidade, com apoio da Secretaria de Saúde.

Durante a campanha haverá também distribuição de faixas e cartazes nos ônibus, hotéis, barcos e pontos estratégicos com grande fluxo de pessoas, com apoio AGETRAT e Fundação de Cultura e Turismo; adesivagem na parte central da cidade no dia 17, a cargo das equipes da secretaria, CRAS e CREAS, com apoio dos conselhos municipais de Assistência Social, Direitos das Crianças e Adolescentes, da Mulher e da Agetrat. Já no dia 18 de maio, quando se celebra a data, está programada uma passeata pelas ruas centrais da cidade, com encerramento na Praça da Independência, onde acontece a divulgação dos vencedores do concurso de frases.