Corumbá imunizou 2,9 mil pessoas contra Influenza; 20% da meta

Continua disponível em sete unidades de saúde de Corumbá, as vacinas contra a Influenza. Dados da Secretaria Municipal de Saúde mostram que quase 20% do público alvo foi imunizado até o último sábado (30), dia D da Mobilização Nacional. Ao todo, 2,9 mil receberam as doses, sendo a meta esperada de 14,7 mil até o dia 13 de maio, quando termina a Campanha Nacional  contra a Gripe em Corumbá.

O levantamento do núcleo de imunização da Prefeitura de Corumbá mostra que do dia 25 de abril, data do início da campanha, até o dia 30 do mesmo mês, 649 crianças foram imunizadas, uma cobertura de 21,45%. Entre os trabalhadores de saúde, 375 receberam as doses da vacina que protege contra os três principais vírus da gripe que circulam no hemisfério sul, inclusive a Influenza A (H1N1), mais conhecida como gripe suína. A meta para este grupo é de 1.190.

Nesta primeira semana de campanha, 250 gestantes receberam a dose da vacina, 12,28% do esperado para até o dia 15 de maio. Compareceram nas unidades de saúde, 1.671 idosos, cobertura de 19,97%. Entre os indígenas a imunização atendeu 3,87%. A vacina está disponível nas Unidades de Saúde Gastão de Oliveira, no Bairro Maria Leite; Fernando Moutinho, no Cristo Redentor; Breno de Medeiros, na Popular Nova; Paulo Maissato, na Nova Corumbá; São Bartolomeu, no Jardim dos Estados/João de Deus; Dom Bosco, no Dom Bosco; Ladeira Cunha e Cruz, no centro.

Em relação à imunização das crianças, essa ocorrerá em duas etapas. "Em cada uma, a criança receberá meia dose e a segunda será aplicada 30 dias após a primeira", reforça o responsável pelo núcleo de imunização da Prefeitura, enfermeiro Wangley Bento de Campos. A campanha vai atender também moradores da zona rural e da região ribeirinha. Na zona rural a vacina será aplicada pelas equipes da Estratégia de Saúde da Família, atendendo as localidades do Taquaral, Paiolzinho, Tamarineiro, Jacadigo, Urucum, Maria Leite, Mato Grande, São Gabriel e o Distrito de Albuquerque.

O Ministério da Saúde alerta a importância da imunização, principalmente levando-se em conta que a vacina tem contribuído para a prevenção da gripe e suas complicações, além de causar um impacto considerável na redução das internações hospitalares, óbitos e gastos com medicamentos para tratamento de infecções secundárias. As complicações da influenza (pneumonias bacterianas ou agravamento de doenças crônicas já existentes, como diabetes e hipertensão) são mais comuns nesses grupos – idosos e crianças com idade entre seis meses e dois anos, além das gestantes, que também são muito vulneráveis. Neste caso, a principal forma de prevenção é a vacinação.

A campanha utilizará 32,7 milhões de doses, para todos os estados e municípios brasileiros. A única contraindicação é para pessoas com alergia severa à proteína do ovo ou a doses anteriores da vacina. Na dúvida, um médico deve ser consultado. O mesmo vale para pessoas com sintomas de gripe, que devem ser tratadas antes de se vacinar. O Ministério da Saúde recomenda também outra forma de prevenir a gripe. O órgão federal aconselha a população a manter hábitos simples de higiene, como lavar as mãos com freqüência, cobrir nariz e boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar e não compartilhar alimentos e objetos de uso pessoal se estiver com sintomas de gripe – febre, tosse, coriza, dor de cabeça e dor no corpo (músculos e articulações).