Copa Integração Popular: 3M é o campeão do Cravo Vermelho

O 3M é o campeão da Copa Integração Popular de Futebol Amador – Série C na região do Cravo Vermelho. No sábado (28), a equipe derrotou na final o Oficina da XV por 2 a 0. O 3M também teve o melhor goleiro da disputa, Walter, com apenas 7 gols sofridos em 8 jogos. O artilheiro da regional foi Nenê, do Pantanal, com 11 gols. Os dois atletas receberam do diretor-presidente da Fundação de Esportes de Corumbá (Funec), Heliney de Miranda Júnior, troféus personalizados.

Além da taça, o time campeão faturou R$ 1.200. A Oficina da XV, vice, ganhou R$ 800. Os dois estão classificados para a Série B do Campeonato Amador, que começa em julho na Esplanada da Nob. Atlético, campeão da zona rural, e Taquaral, segundo colocado, também estarão na competição. Nos 23 jogos realizados no Cravo Vermelho, a bola balançou as redes em 127 oportunidades, média de 5,5 gols por jogo. A bola ainda rola nas regionais do Jardim dos Estados e Centro Esportivo do Bairro Dom Bosco.

Universitário

A decisão na região do Universitário, programada para o domingo (29) não aconteceu porque o árbitro Erlanderson Martinez foi embora do campo de jogo antes da partida começar. A final estava marcada para às 9 horas, mas sofreu um atraso em função da partida preliminar. Por volta das 9h30, Erlanderson decidiu não esperar mais e deixou o local, acompanhado dos auxiliares Wagner Rogério e Jhon Alex e do quarto árbitro Edmilson. Os dois times, CL e Universitário, já estavam prontos para entrar em campo, ambos uniformizados e escalados pelos seus treinadores.

A Polícia Militar, Guarda Municipal e a Ambulância da Secretaria Municipal de Saúde também estavam a postos para o início do confronto decisivo, conforme determina a legislação. "Tentamos entrar em contato com o árbitro e, depois, com os representantes da Delegacia dos Árbitros, mas todos estavam com os celulares desligados", explicou Heliney Miranda. Agora a Funec vai entrar com uma representação contra o quarteto no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) do município.

Na esfera cível, a Fundação de Esportes também vai tomar todas as medidas judiciais cabíveis, uma vez que a entidade, jogadores e os torcedores foram lesados com a atitude. "O juiz tem a prerrogativa de aguardar até 1 hora para começar ou reiniciar um jogo, fato que costumeiramente acontece, inclusive, na primeira divisão do futebol nacional. Também é comum os árbitros da Delegacia de Corumbá atrasarem ou não aparecem para atuar nas partidas. Entendo que faltou esta avaliação do Erlanderson antes de tomar uma atitude tão enérgica.", continuou Miranda.

"No Campeonato Estadual, há 3 semanas, o árbitro esperou por 25 minutos a ambulância voltar, pois o Samu havia saído para atender um acidente grave. E era futebol profissional. Por que não ter a mesma conduta no desporto amador?" questionou o presidente da Fundação. A Funec aguarda um posicionamento do TJD para remarcar a data do confronto.