Caminhada mostra a luta de Corumbá contra violência infantil

Uma caminhada na tarde desta quarta-feira (18) mostrou que Corumbá está cada vez mais atenta e combatendo a violência infantojuvenil no maior município pantaneiro. O ato, realizado pela Prefeitura e parceiros, marcou o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes e encerrou uma campanha iniciada em 03 de maio, que procurou levar para os mais diferentes segmentos da sociedade, a importância do engajamento de todos, na luta contra este tipo de violência.

A caminhada integrou a programação da Campanha Municipal de Combate e Enfrentamento à Violência e ao Abuso Sexual contra Crianças e Adolescentes aberta no dia 03 de maio pelo secretário de Assistência Social e Cidadania, Haroldo Ribeiro Cavassa. O ato contou com a participação de alunos de escolas das redes municipal, estadual e particular, além de representantes dos mais diferentes segmentos da sociedade. "Foi mais uma ação para mobilizar a população contra este tipo de violência que tanto afeta nossas crianças", explicou Haroldo.

Ele participou da caminhada ao lado dos vereadores João Bosco da Silva e Souza e Carlos Alberto Machado, ambos do PT, além de outras autoridades municipais e representantes de entidades, todas parceiras da mobilização. "Começamos no dia 03 de maio e o período foi marcado por palestras nas escolas, ações em pontos turísticos e outros locais de grande aglomeração de pessoas. Estamos encerrando hoje com esta caminhada, mas isto não quer dizer que estamos finalizando o nosso trabalho. A luta continua, tem que ser todos os dias e, cada vez mais, com a participação da população", pregou Haroldo.

O secretário afirmou que já houve um avanço muito grande na luta contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes na cidade. "Somente no primeiro trimestre de 2011, tivemos cerca de 20 casos e todas as crianças estão sendo atendidas hoje pelo CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social). Houve um crescimento e isto se deve justamente pelo fato de que estão ocorrendo denúncias. A população está se conscientizando e denunciando", reforçou.

A psicóloga Amanda de Amorim, coordenadora do CREAS, informou que no primeiro trimestre de 2011, foram 19 casos e que todas as crianças estão sendo atendidas pela instituição, encaminhadas pelo Conselho Tutelar ou mesmo pela Delegacia de Atendimento à Infância e Juventude (DAIJ). "Cresceu em relação ao ano passado e isto é bom. Mostra que os casos estão sendo denunciados", explicou. Segundo ela, hoje, o Centro atende 40 menores de idade, 21 são remanescentes de 2010.

Haroldo se mostra preocupado com o fato de que, muitos dos casos, ocorrem dentro da própria residência e são praticados por pessoas próximas da criança, de inteira confiança da mesma. Conforme ele, isto dificulta as denúncias, já que as pessoas violentadas temem denunciar por medo de quem pratica este tipo de violência. Mas, voltou a conclamar o apoio irrestrito da população e denunciar os casos, principalmente pelo telefone número 100.

Concurso

A caminhada foi encerrada na Praça da Independência. Durante todo o trajeto, que cortou as principais ruas do centro, as fanfarras das escolas deram um tom especial ao ato. Foi feita também a escolha da frase vencedora do concurso que integrou a programação: ‘Não se cale! Não permita! Porque as marcas desaparecerão, mas as lembranças permanecerão. Denuncie a exploração sexual infantil!", de autoria da aluna Alessandra Danielle Mercado Pessoa, da 8ª série do Colégio Objetivo.

A campanha foi coordenada pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania, com apoio das secretarias Especial de Integração das Políticas Sociais, Saúde e Educação; Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat); Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal; Delegacia de Atendimento à Infância e Juventude (DAIJ); Conselhos Municipais de Assistência Social, da Criança e do Adolescente, da Mulher e Tutelar; Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) e de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS); Programa Medidas Socioeducativas; Comissão Municipal de Enfrentamento a Violência de Crianças e Adolescentes (PAIR); Albergue, e das Casas de Acolhimento.