Após um ano de intervenção, hospital mostra importantes avanços

No dia 12 de maio de 2010, uma determinação do Ministério Público Estadual (MPE) repassou a administração do Hospital de Caridade de Corumbá, a maior instituição médica da região pantaneira, para uma junta interventora composta pelas prefeituras de Corumbá e Ladário e pela Secretaria Estadual de Saúde. Quando a junta iniciou seus trabalhos, encontrou um cenário quase caótico. Foram detectados graves problemas na estrutura física, material, operacional e até com os funcionários da Santa Casa. Alguns não recebiam salários ou benefícios trabalhistas havia meses.

Passados exatos 12 meses, a situação na instituição é completamente diferente. "Hoje o pagamento do salário está em dia, dentro do mês trabalhado, a exemplo do que acontece na Prefeitura", destacou o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), que recebeu a imprensa na manhã desta quinta-feira (12) para detalhar as ações realizadas na Santa Casa durante o último ano. O chefe do Executivo corumbaense lembrou que faltavam medicamentos no Hospital, que já não tinha mais o Alvará de Vigilância Sanitária e nem o reconhecimento de Instituição Filantrópica.

Equipamentos importantes não recebiam manutenção, a infraestrutura era inadequada e o descrédito com fornecedores, pacientes e instituições só crescia. "Encontramos uma dívida entre R$ 12 milhões e R$ 15 milhões, valor que ainda hoje não pode ser precisado porque a administração anterior não encaminhou todos os resultados financeiros e contábeis da instituição", explicou Ruiter. A junta já entrou na Justiça para obter acesso a estes balancetes e saber de quanto é a divida do hospital.

O prefeito observou ainda que, assim que assumiu o hospital, a junta abriu a administração à população, a diretores clínicos e demais setores do hospital. Foram realizados o pagamento e a negociação da dívida com credores, investimentos na informatização e implantação de novos procedimentos para melhor controle e transparência (estoque da farmácia, contabilidade interna, código de barra), e implantação de medidas que contribuem para o aumento de receita (negociação com os convênios).

Além de deixar os salários em dia, houve uma grande melhora na qualidade das refeições servidas no local. Hoje, o mesmo prato servido a pacientes de convênios particulares e médicos é servido a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), que recebem o mesmo tratamento de acomodação dos demais convênios. "Agora é possível agendar cirurgias eletivas via online. Houve a regularização da oferta de medicamentos, renovação do enxoval do hospital, condicionadores de ar em todos os apartamentos e enfermaria da maternidade, recuperação do aparelho de raios-X e manutenção preventiva e corretiva de equipamentos", afirmou Ruiter.

A junta viabilizou ainda a capacitação de enfermeiros, a reforma da central de esterilização, da farmácia, recepção da maternidade e do hospital, além da ampliação do laboratório e a pintura geral da instituição. "Foram avanços significativos que refletem na qualidade do atendimento oferecido a população de Corumbá, de Ladário e dos irmãos bolivianos da fronteira", definiu o prefeito.