Segurança: integração é sonho antigo dos pantaneiros, diz Ruiter

Durante a formalização do Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira (GGI-F) Corumbá/Ladário, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) lembrou que o fortalecimento da segurança na faixa de fronteira com a Bolívia é um anseio antigo dos moradores da região. Para o chefe do Executivo corumbaense, o GGI-F é um marco na relação entre o Brasil e a Bolívia. "Estamos vendo se consolidar uma vontade do Governo Federal, principalmente, com uma vocação diferenciada. Ele quer ouvir a base, todas as instituições e seguimentos que possam colaborar, que querem dar sugestões sobre o tema", afirmou Ruiter.

"Este Gabinete Integrado é um sonho, um desejo de todos nós que vivemos aqui na região de fronteira. O Festival América do Sul (FAS), inclusive, foi criado com o objetivo de integrar todos estes povos, estes países, para que possamos superar as divergência e conseguir uma convivência cada vez mais harmoniosa", disse o prefeito, autor da proposta que resultou na inclusão do tema Segurança Pública no FAS 2011, destacando ainda a pluralidade do GGI-F. "(O Gabinete) não é um pacote fechado. Possuiu sua parte técnica em segurança, mas também tem uma função política no sentido de ouvir todas as partes para que esta política pública possa estar mais aparelhada", afirmou.

Representando a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, o deputado estadual Paulo Duarte (PT) valorizou as potencialidades econômicas do Pantanal, que tendem a ficar ainda mais evidentes com o fortalecimento da segurança. "Corumbá deve ser reconhecida por sua beleza natural, pelo Pantanal, cultura, riqueza história assim como a Bolívia. Para isso, são necessárias ações integradas entre os poderes municipais, governos estadual e federal. O resultado positivo deste investimento não é apenas importante para a região de fronteira, mas sim para todo o País", ressaltou o parlamentar.

O encontro reuniu autoridades federais e estaduais da segurança pública, integrantes do executivo de Puerto Suarez, membros Ministério Público e do Judiciário, Receita Federal, representantes do Exército, Marinha, Aeronáutica e das forças de segurança da Bolívia. A implantação do GGI-F começou a ser discutida em março, quando o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, participou da VII Comissão Mista Brasil-Bolívia sobre Drogas e Temas Conexos em La Paz, Bolívia. Na ocasião, foram firmados compromissos entre os dois países para o combate ao tráfico de drogas e ao crime organizado. Ele esteve também em Puerto Suarez e se encontrou com autoridades locais, entre elas o prefeito Ruiter, quando o assunto foi amplamente discutido.