Relação do Exército com Corumbá vai além da soberania nacional

Nesta terça-feira (19), o Brasil comemora o Dia do Exército Brasileiro. A instituição, cujo objetivo maior é garantir a soberania do País, é também solícita em ajudar a população. Em Corumbá, este auxílio se torna ainda mais essencial no atendimento aos moradores da área urbana e, principalmente, àqueles que estão em regiões mais distantes, como os ribeirinhos e os pantaneiros em geral. A campanha do Dia do Exército de 2011 define a forma de atuação desta força armada na região pantaneira. "Braço Forte defendendo o Brasil e Mão amiga protegendo o cidadão" reflete a força que os militares exercem na garantia da segurança nacional, sem esquecer as questões humanitárias.

Em Corumbá, a parceria entre o Município e as Forças Armadas contribui para a melhoria da qualidade de vida da população que mais necessita. Recentemente, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) conseguiu importante auxílio para atender a população da região da Estrada Parque Pantanal. A pedido dele, o comandante da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira em Corumbá, general de brigada Carlos dos Santos Sardinha, encaminhou solicitação de uma ponte flutuante na vazante cinco da MS-184 ao comandante do Comando Militar do Oeste (CMO), general de Exército João Francisco Ferreira.

A solicitação foi prontamente atendida e o processo de montagem ocorreu no último sábado (16) por militares do 9º Batalhão de Engenharia de Combate de Aquidauana. A ponte vai ajudar os moradores que até poucos dias atrás faziam a travessia com barco a motor. A atenção dada pelo comandante do CMO, hóspede de honra em Corumbá, reforça a disposição do Exército Brasileiro em ajudar a população pantaneira. "Além de garantir a soberania nacional, o Exército tem forte relação de integração com a sociedade civil corumbaense e participa ativamente com ações que nos permitem minimizar os problemas de populações mais carentes", disse Ruiter.

No contexto histórico, as forças armadas tiveram influência na formação cultural e arquitetônica de Corumbá. A cidade foi cenário de batalhas importantes da Guerra do Paraguai, o que trouxe para cidade milhares de militares, sendo que muitos ficaram na cidade e constituíram família. O município abriga o Forte Coimbra e Forte Junqueira, obras de importância bélica que agora se tornaram atrativos turísticos relembrando as batalhas entre o Paraguai e a Tríplice Aliança, composta por Brasil, Argentina e Uruguai.

Na rotina corumbaense, as patentes fazem parte do cotidiano. As ruas, praças e avenidas imortalizam comandantes e heróis militares. Entre os exemplos estão a Praça General Rondon, que homenageia o sertanista brasileiro, Rua Antônio Maria Coelho, nome do Marechal que foi herói da batalha de Retomada de Corumbá, Rua Porto Carreiro, homenageando o comandante militar de Forte Coimbra, além de nomes como Marechal Floriano, Duque de Caxias (patrono do Exército), General Dutra, Major Gama, entre outros.

A cidade abriga a 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira e o 17º Batalhão de Fronteira. Ao todo, as duas organizações militares empregam mais de 1,1 mil homens que contribuem para a circulação de capital no comércio local, além de aquecer o mercado imobiliário, com a chegada de novos militares a cada ano. Além disso, torna-se uma oportunidade de primeiro emprego para centenas de jovens que se alistam em um dos dois quartéis, sendo que muitos acabam fazendo carreira na profissão militar.