Integração da fronteira é meta de Ruiter desde primeira gestão

A efetivação de um projeto integrado na região da fronteira Brasil e Bolívia, voltado principalmente para as áreas de saúde e segurança pública, é um objetivo antigo do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) que, já na sua primeira gestão, liderou um movimento para unir as cidades de Corumbá e Ladário, no Brasil, e Puerto Quijarro e Puerto Suarez, na Bolívia, na busca do desenvolvimento regional.

Esta ação possibilitou realização de um encontro binacional em abril de 2008, em Puerto Quijarro, que resultou em uma carta de intenções assinada por Ruiter e pelos então prefeitos de Quijarro, Aldo Clavijo Viruez, e de Puerto Suarez, Romualdo Urtado, com testemunho do atual ministro da Saúde do Governo Dilma Rousseff, Alexandre Padilha, na época, subchefe de Assuntos Federativos da Presidência da República, gestão Luiz Inácio Lula da Silva, e pelo deputado estadual Paulo Duarte (PT).

A carta foi assinada em 02 de maio de 2008, durante o Festival América do Sul. Marcou a integração das três cidades (mais tarde Ladário também aderiu, já na administração do atual prefeito José Antônio Assad e Faria), para planificar, de forma conjunta, medidas objetivando garantir o desenvolvimento sustentável da região. Foi criado um comitê que realizou um diagnóstico das necessidades e um plano de execução de ações para enfrentamento dos problemas emergenciais.

A iniciativa dos municípios fortaleceu a integração de fato da fronteira, por meio da intervenção da gestão pública na busca de soluções concretas para problemas comuns que afligem brasileiros e bolivianos. A carta estabeleceu quatro temas como prioridade: desenvolvimento social e serviços básicos, economia e produção, segurança pública e política migratória e gestão dos recursos naturais.

Na época, Padilha definiu todo o trabalho como umas missão "para melhor incrementar as relações de comércio, fomentando novos investimentos e reafirmando a importância de promover um ambiente favorável ao comércio, à saúde, à segurança e ao meio ambiente". Foram formadas comissões para apontar as necessidades da região – sociais, econômicas e ambientais -, para suporte a programas e projetos conjuntos.

O acordo celebrado na época tem validade até o próximo dia 02 de maio (foi por três anos), podendo ser prorrogado pelo mesmo período. O documento foi assinado nas versões originais em português e espanhol, traduzindo a confiança que permeia as relações entre os municípios envolvidos e o anseio de oferecer qualidade de vida aos seus munícipes. A cerimônia de assinatura da carta contou também com a presença de lideranças políticas e empresariais das três cidades e também do assessor especial da Presidência da República, Alberto Kleiman, que acompanhava o Subchefe de Assuntos Federativos.

Na época da celebração do acordo o prefeito corumbaense assinou uma carta endereçada a Lula, onde manifestou o espírito da integralização que envolve a região e reiterou o apoio do governo brasileiro para sua efetivação. O documento foi entregue a Alexandre Padilha, e para o prefeito a união simbolizada na carta dos municípios pantaneiros reforçou o "compromisso da política externa brasileira" e dará suporte para futuros acordos, tratados e outros atos junto ao governo central.

"Na mesma proporção das diferenças e desafios que estão por vir – disse Ruiter -, grande é o sonho de desenvolvimento integrado dos povos de nossa região e, para sua efetivação, urge o enfrentamento das questões comuns que circundam a realidade das cidades bolivianas de Puerto Quijarro e Puerto Suarez e do nosso município". A carta ressaltou ainda que "não obstante o marco geográfico da fronteira que divide estas cidades, as relações entre elas, historicamente, ultrapassam os seus limites e, por muitas razões, mostram-se bastante intensas, principalmente pela proximidade em que se encontram, pelo comércio, importação/exportação, navegação (Bacia do Rio Paraguai), turismo (Pantanal), gasoduto etc".

"Assim – completou o prefeito corumbaense -, como fazem as cidades bolivianas supramencionadas junto às autoridades de governo de seu país, as quais já demonstraram total apoio à consecução desses objetivos, leva-se ao conhecimento de Vossa Excelência os esforços empreendidos, certos de que o governo brasileiro em muito poderá contribuir a integração e desenvolvimento dos municípios pantaneiros da fronteira Brasil-Bolívia".

Lula em Corumbá

Em janeiro de 2009, os três prefeitos e mais o de Ladário, José Antônio, elaboraram uma nova carta, que foi entregue ao presidente Lula, quando visitou a região e se encontrou com o presidente boliviano Evo Morales, que também recebeu o documento que destacou a necessidade de se desenvolver políticas públicas e programas nacionais específicos para as comunidades fronteiriças nas áreas de saúde, educação e assistência social das populações vizinhas; questões de segurança, entre outros assuntos, todos voltados ao desenvolvimento dos dois lados da fronteira.