Habilitar celebra Páscoa com apresentações culturais e chocolate

Os adolescentes participantes do programa Habilitar, voltado ao atendimento contra a dependência química, realizaram apresentações culturais sobre a Páscoa. As atrações ocorreram na tarde desta terça-feira (20) com a presença dos pais destes jovens e membros da Secretaria Municipal de Saúde. O momento foi também de confraternização e distribuição de ovos de chocolate, além de peixe frito, sopa paraguaia e chipa.

A presença dos familiares durante as apresentações culturais foi ressaltada pelo secretário Municipal de Saúde, Lauter Serra. "É de suma importância que os pais acompanhem a evolução dos seus filhos durante o tratamento no Habilitar. Eles são parte importante deste processo", comentou. Os jovens explicaram o significado da Páscoa e seus principais símbolos, como o coelho, os ovos, peixe, velas entre outros.

"Este é o objetivo do Habilitar, dar uma nova oportunidade para estes jovens. Estas apresentações trabalham o lado cultural, mas também melhoram a auto-estima. Muitos quando entraram não sabiam se expressar em público, o que já vem mudando", explicou a coordenadora técnica do Projeto Habilitar, Nelma Dib. A secretaria municipal de Assistência Social e Cidadania levou ovos de chocolates para serem distribuídos entre os jovens, além de cestas com produtos típicos da sexta-feira santa, como peixe e sopa paraguaia. A escola Macena de Brito também realizou doação de chocolates para os participantes do programa.

A interação entre família, jovens e equipe técnica é um dos diferenciais do atendimento aos menores. O programa busca reintegrar os adolescentes para que possam retomar o seu desenvolvimento normal. O Habilitar proporciona mais uma chance de reinserção por meio de um trabalho envolvendo principalmente os familiares e o meio onde vivem, as equipes buscam mostrar um outro lado da vida aos adolescentes, longe das drogas. A estruturação do prédio foi viabilizada com recursos próprios da Prefeitura, do Fundo Municipal de Investimento Social (FMIS) e do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.