Estratégia Saúde da Família atende mais de 70 mil corumbaenses

Programa desenvolvido pela Prefeitura de Corumbá, o Estratégia de Saúde da Família (ESF) está permitindo atender mais de 70 mil corumbaenses, 69% da população local. Os números são do Sistema de Informação de Atenção Básica (SIAB), do Ministério da Saúde. O programa é desenvolvido na cidade por 21 equipes distribuídas em 17 Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs). São ações de promoção da saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e agravos mais frequentes, e na manutenção da saúde da comunidade.

Segundo o enfermeiro Franz Martins Eger, da área de Atenção em Saúde da Secretaria de Saúde e responsável pelas equipes, os números podem ser considerados ótimos, comparados à maioria dos municípios brasileiros. Além da ESF, a cidade conta também com duas equipes da Estratégia de Agentes Comunitários de Saúde (EACS), lotadas em duas unidades, que são responsáveis pelo atendimento a oito mil pessoas.

Das 21 equipes de ESF, duas estão na área rural, sendo que cada uma conta com um médico, um enfermeiro, dois técnicos de enfermagem, seis agentes comunitários de saúde, um odontólogo e um auxiliar de consultório dentário. Já as EACSs contam com enfermeiros, agentes comunitários de saúde e técnicos de enfermagem.

Para o secretário municipal de Saúde, Lauther da Silva Serra, os números comprovam o sucesso dos programas em Corumbá, que têm contribuído decisivamente para a melhoria da qualidade de vida da população. "E isso é resultado de um acompanhamento nas unidades básicas de saúde, ou mesmo nas residências, visitadas constantemente pelos agentes comunitários que residem nas suas próprias áreas de atuação, permitindo assim um vínculo maior com a população atendida", explica.

Franz salienta que cada equipe do programa atende uma média de 4 mil pessoas por mês, sendo que cada agente comunitário é responsável pela visitação mensal a cerca de 150 famílias. "Os agentes são o elo entre os demais integrantes das equipes e a população", observa, avaliando que todo o investimento tem retorno garantido e pode ser observado, por exemplo, na redução do número de internações.

"O que mais consome recursos é a parte hospitalar curativa, e o programa veio justamente para trabalhar com a educação em saúde e evitar que a população fique doente", observa o enfermeiro, ressaltando a necessidade de a população, independentemente da visita das equipes, sempre procurar uma unidade básica de saúde para se prevenir e não apenas para se tratar quando já estiver doente. Conforme ele, o agendamento de consultas nos centros de saúde de Corumbá é de no máximo uma semana para prevenção e imediato para casos urgentes.

Franz ressalta também que a determinação da administração municipal é buscar sempre a melhoria no atendimento e no desenvolvimento dos programas de saúde, não apenas na área urbana, mas em todo o município. Entre as 21 equipes da ESF, duas são da zona rural, sendo uma na região do Taquaral, atendendo também o Tamarineiro e o Paiolzinho, e outra no Mato Grande, com abrangência nas localidades de Albuquerque, Urucum, São Gabriel e Maria Coelho.

As outras equipes estão distribuídas nas UBSFs dos bairros Dom Bosco, Ênio Cunha, Beira Rio, Luiz Fragelli, Gastão de Oliveira I e II, Popular Velha, Fernando Moutinho I e II, Humberto Pereira, Aeroporto, Breno de Medeiros I e II, São Bartolomeu, Paulo Maissato, Kadiwéus e Vitória Régia. As duas Estratégias de Agentes Comunitários de Saúde da Família atendem no Kadiwéus e Pedro Paulo. "A diferença é que as EACSs não contam com médico e odontólogo. As equipes são responsáveis por um trabalho de orientação, além de mapeamento da área. Toda pessoa atendida, neste caso, se desloca para uma Unidade Básica, como a Pedro Paulo e o Kadiwéus", conclui Franz.