Corumbá foi a primeira do País certificada na Rede Amamenta

Uma grande conquista para a redução da mortalidade infantil aconteceu em 2010, quando Corumbá foi a primeira cidade brasileira a certificar 10 de suas Unidades Básicas de Saúde na Rede Amamenta Brasil. De acordo com o Ministério da saúde, as UBS foram as primeiras do País a cumprir integralmente todos os requisitos para receber o certificado. O secretário de Saúde Lauther Serra comentou que, apesar de somente estas 10 terem sido certificadas, as demais já adotam rotineiramente todos os procedimentos e diretrizes especificadas na Rede a fim de incentivar a amamentação.

Desde a implantação da Rede Amamenta em Corumbá foram formados 16 tutores, envolvendo 17 Unidades Básicas de Saúde e 300 profissionais de saúde. As Unidades Básicas de Saúde da Família certificadas em Corumbá foram Breno de Medeiros, Dom Bosco, Gastão de Oliveira, Paulo Maissato (Nova Corumbá), Humberto Pereira, Ênio Cunha, Aeroporto, Beira Rio, São Bartolomeu e a Estratégia de Saúde da Família do Taquaral, na área rural. Os números mostram que em 2010, Corumbá registrou 461 crianças em aleitamento materno de um total de 623 avaliadas.

Agora, em 2011, a Prefeitura de Corumbá lançou o Protocolo de Ações na Promoção, Proteção e Apoio ao Aleitamento Materno para as Unidades Básicas de Saúde da Rede Amamenta Brasil. O plano de trabalho trata do acompanhamento da criança, ainda antes do nascimento, com ênfase no recém nascido, e do incentivo ao aleitamento materno nos seis primeiros meses de vida.

O protocolo oferece aos profissionais de saúde, instrumentos para que possam orientar o desenvolvimento e o acompanhamento das criança, desde o ventre da mãe até os dois anos de idade, sempre com foco no aleitamento. O plano também trabalha as dificuldades da amamentação como escoriações, fissuras e mastites, problemas comuns durante o aleitamento. O documento foi apresentado pelo o médico obstetra José Edmar Baltar, coordenador da Rede Amamenta no Município, e pela psicóloga da Triagem Neonatal da Secretaria de Saúde, Nides Marcon.