Sandálias de Frei Mariano espanta a chuva e desânimo da avenida

O bloco Sandálias de Frei Mariano espantou a tristeza e atraiu uma multidão para o Circuito da Folia na noite desta quinta-feira (3). Nem a chuva esfriou os ânimos dos foliões que mostraram mais uma vez os motivos que levam Corumbá ser reconhecida como detentora do melhor carnaval do centro oeste brasileiro. O bloco desceu a rua Frei Mariano por volta das 22 horas, passou pela avenida General Rondon, ao som da Banda Q'jaros e do Cunha, esbanjando muita alegria, descontração.

Este foi o sexto ano consecutivo que o bloco se apresentou em Corumbá e já caiu no gosto do corumbaense. Durante a concentração, a alegria foi a atração principal, porém, não menos importante do que o personagem de Frei Mariano, que comandou a folia durante a descida dos foliões e "xispou" a chuva durante o percurso. "É maravilhoso poder sair neste bloco. Como o ambiente é saudável, trouxe meus filhos também. Todos os anos eu saio no Sandálias de Frei Mariano para começar muito bem o carnaval", disse a funcionária pública Elaine da Cruz, 35 anos, que mesmo grávida de seis meses não deixou de curtir a folia do já considerado tradicional bloco.

"Gosto muito do carnaval e desde a criação do bloco saio todos os anos. Desta vez, trouxe minha família inteira, filhos, netos, cunhadas. Não existe folia melhor do que a de Corumbá, mesmo com chuva acompanhamos o Sandálias de Frei Mariano desde o começo", comentou a auxiliar de enfermagem, Marli Fernandes, de 55 anos.

Primeiro bloco carnavalesco a sair às ruas de Corumbá nesta semana de carnaval o "Sandálias" foi idealizado como forma de satirizar uma 'praga' que Frei Mariano teria feito contra a cidade, por ter sido expulso após ser acusado de não pagar o relógio da igreja que acabara de construir, em 1887, vingou-se rogando uma praga contra os moradores de Corumbá. Dizem que, na época, ele enterrou suas sandálias em lugar incerto, afirmando que a cidade somente retomaria o desenvolvimento quando elas fossem desenterradas. Verdadeira ou não, a lenda foi satirizada de forma irreverente pelos foliões corumbaenses.

A idealizadora do bloco, Heloisa Helena, lembrou que a festa "faz parte da nossa cultura, da nossa história, fatores evidenciados pelo nosso prefeito Ruiter Cunha, desde o início da sua administração". Disse que o bloco foi criado justamente para mostrar um pouco dessa lenda de Frei mariano, que faz parte da cultura e da história da cidade. "é uma maneira também de desmistificar esta lenda", comentou.

Sandálias de Frei Mariano foi criado em 2006, formado apenas por funcionários públicos do município. Hoje já conta com participações de pessoas dos mais diferentes segmentos da sociedade. A descida até a avenida General Rondon começou pela rua Frei Mariano, ao som de marchas carnavalescas e do próprio samba enredo-enredo do bloco, cuja letra "chispa" à maldição e ao azar, no linguajar pantaneiro.