Ruiter entrega veículo ao CAPS e agiliza atendimento na cidade

O Centro de Atendimento Psicossocial – álcool e drogas (CAPS ad) passa a contar a partir de agora com um veículo zero quilômetro que dará mais agilidade ao atendimento a pacientes assistidos pela instituição. A van foi entregue na manhã desta sexta-feira (04) pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira, durante ato que marcou o terceiro ano de funcionamento do Centro e contou com as presenças de ex-pacientes que hoje vivem uma nova realidade, inclusive com trabalho.

O veículo foi adquirido com recursos do Fundo Municipal de Investimentos Sociais (FMIS), um investimento de R$ 98 mil. A chave foi entregue pelo prefeito à gestora do CAPSad, psicóloga Silvia Freire. Participaram também do ato a secretária especial de Integração das Políticas Sociais, Beatriz Cavassa de Oliveira; o secretário de Saúde, Lauther Serra; o secretário de Relações Institucionais, Lamartine de Figueiredo Costa, além de assessores, servidores do órgão e familiares dos pacientes.

O CAPSad conta hoje com cerca de 800 pacientes cadastrados. Uma boa parte já concluiu o tratamento e tiveram alta. Outros ainda permanecem sendo atendidos pela equipe do Centro. Silvia Freire informa que, no momento, 40 pacientes estão em tratamento intensivo, das 7 às 17 horas. Outros 30 encontram-se em tratamento semi-intensivo, e 15 em tratamento não intensivos. "É um trabalho difícil, mas gratificante", comentou a psicóloga, elogiando todo o grupo técnico, bem como o prefeito Ruiter Cunha e sua equipe, por ter implantado a instituição.

Silvia Freire lembrou que, nos dois anos anteriores, a equipe de trabalho buscou um tema como foco da comemoração. "Este ano, fomos atrás dos antigos pacientes que já tiveram alta, para cada um deles relatar como estão hoje", comentou, lembrando que as vitórias conquistadas, se devem ao respaldo que a instituição está tendo da Prefeitura. Durante o ato, ela recebeu a notícia do secretário Lauther Serra de que o CAPSad acaba de receber credenciamento como CAPSad 3, o que representa um avanço, já que estenderá seus serviços por 24 horas diária, permitindo pernoite daqueles pacientes que necessitam se manter no local, em trataamento.

Ruiter elogiou o trabalho do grupo e a força de vontade das pessoas que procuram o CAPSad, para tratamento. Segundo o chefe do executivo corumbaense, "a equipe faz um trabalho maravilhoso, um dos mais gratificantes da função pública", e que todos estão "se doando em prol de uma causa nobre", e que a vitória que cada um dos pacientes conquista, "é nossa também". Fez um pedido a Deus para continuar iluminando estas pessoas "para que sejam eternos vencedores".

Anos de sofrimento

Elder Oliveira Alves, 27 anos, foi o primeiro a relatar a sua vida atual. "Quando cheguei aqui recebi carinho e atenção. Tive dificuldades no início, dei trabalho, não acreditava em uma mudança na minha vida. O CAPS me mostrou o caminho, tinha que ter força de vontade, a recaída é difícil. A gente tem que vir aqui, falar a verdade. Foi assim, sendo sincero, verdadeiro, que me recuperei. Hoje não estou nas ruas. Trabalho e estou livre do crime", confessou para, em seguida, elogiar a administração do prefeito Ruiter por ter implantado o Centro de Atendimento em um local central, no meio da sociedade, para que todos possam ver que é possível a recuperação.

Munir Abdullah, 27 anos, estava trabalhando. Não teve como participar do evento. Ele foi representado por sua mãe, a dona de casa Marlene Abdullah, 64 anos. "Agradeço a Deus pelo dia maravilhoso. Foram 18 anos de sofrimento. Hoje, meu filho está trabalhando e o sofrimento é menor", confessou, lembrando os problemas causados pelo filho, devido a dependência química.

Quem também comemora é Jorcinei Silva Costa, 40 anos, que conseguiu se livrar do vício após 22 anos. "A droga e o álcool, durante esses 22 anos, me levaram tudo, minha casa, minha família, minha liberdade. Estive preso e quando ganhei a liberdade, me tornei um morador de rua, um mendigo, sozinho e sem destino. Não tinha o que beber, o que comer, onde morar. Cheguei a pensar que não valia a pena viver", relatou.

Hoje, Jorcinei recordou inclusive a data em que procurou ajuda. Foi no dia 17 de março de 2008. "Tomei uma decisão que iria mudar a minha vida. Procurei ajuda, pela primeira vez, me internei em um centro de recuperação, o CAPSad. Aqui, fui tratado muito bem. Me deram atenção carinho, fui respeitado, tratado como ser humano, não como aquele bicho que a sociedade via. Hoje, depois de dois anos, 11 meses e 16 dias, já consegui conquistar muitas coisas", comemora.

Por dois anos, fez parte do quadro de funcionários da Prefeitura, contratado por tempo determinado. Disse que está aguardando ser chamado novamente. "Não tive nenhuma falta e nem advertência. Fui e continuo sendo elogiado pelos meus encarregados, tanto é que tenho uma nova chance de fazer um novo contrato". Classificou a equipe do CAPSad como sua "família", agradeceu ao prefeito e sua equipe por "acreditarem e apoiarem o programa" e um pedido à sociedade em geral para que "dê oportunidade aos dependentes em abstinência que precisam de emprego, de uma oportunidade para recomeçar uma nova vida".