Ruiter busca mais recursos em Brasília para combater inundações

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) tem audiência marcada para esta quarta-feira (2) em Brasília-DF com o senador Delcídio do Amaral (PT) para buscar recursos necessários do Governo Federal visando à execução de novas obras de drenagem e galerias de águas pluviais, que deverão resolver definitivamente os problemas de inundações em Corumbá, como a ocorrida nesta segunda-feira (28). A viagem foi anunciada na manhã desta terça-feira (1º), em entrevista coletiva, quando o prefeito fez um balanço das obras já executadas, em andamento e os novos projetos para o setor de infraestrutura na cidade.

Ao fazer uma retrospectiva de como sua administração lidou com as enchentes em Corumbá, Ruiter lembrou o ano de 2005, quando, logo que assumiu a primeira gestão, deparou-se com sérios problemas de inundações em pontos diferentes da cidade. Naquela circunstância, ele iniciou um grande processo na tentativa de viabilizar recursos para implantar galerias e drenagens de águas pluviais. Paralelamente, refez o projeto da Rua Gonçalves Dias, no bairro Aeroporto, para resolver sério problema de alagamento naquela localidade. O valor da obra dobrou, sendo executada com recursos próprios e da União, viabilizados pelo senador Delcídio do Amaral.

"Iniciamos a nossa primeira gestão com a tarefa de resolver um sério problema em nosso município, a falta de drenagem e galerias para escoamento da água de chuva. Fui alertado sobre essa situação, que várias administrações não tiveram esta preocupação em realizar. Corumbá estava crescendo e o que existia já não suportava mais", lembrou o prefeito que, em ato seguido, encaminhou projetos ao Governo Federal, em busca de recursos para executar os serviços necessários. Paralelamente, implantou uma rede de drenagem na Rua Luiz Feitosa, para minimizar drama da população do bairro Nossa Senhora de Fátima, hoje interligada ao sistema da Popular Nova.

Ainda durante a coletiva, o chefe do Executivo corumbaense informou que a Prefeitura está implantado cerca de 4 mil metros lineares de galerias de águas pluviais, além de 18 quilômetros de drenagem. Todas as obras são acompanhadas de pavimentação asfáltica, um investimento de R$ 30 milhões, recursos oriundos da própria municipalidade e do Governo Federal, principalmente do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), ou mesmo de emendas parlamentares.

"Já investimos R$ 18,5 milhões na implantação de galerias e drenagens de águas pluviais. São obras importantes, seguidas de pavimentação asfáltica, todas já concluídas. Hoje, estamos aplicando mais R$ 11,5 milhões também neste setor de infraestrutura, cujos serviços serão concluídos até o final do ano", observou Ruiter, lembrando que se trata de obras fundamentais que, se não tivessem sido feitas, com as chuvas de segunda-feira, os danos seriam maiores, semelhante ao ocorrido há 19 anos, em fevereiro de 1992.

São obras que beneficiaram bairros como o Aeroporto, Nossa Senhora de Fátima, Centro América, Maria Leite, Popular Velha, Cristo Redentor, Popular Nova, Guatós, entre outros. "Eram bairros considerados mais problemáticos que procuramos contemplar, buscar uma solução imediata para estes problemas. Estamos com mais R$ 11,5 milhões sendo aplicados em mais obras no setor, totalizando R$ 30 milhões. Isto demonstra o que a Administração tem procurado fazer", salientou.

R$ 30 milhões

Ruiter deixou claro que, para resolver todos os problemas existentes na cidade, que cresceu nos últimos anos, é preciso aplicar praticamente o mesmo valor que está sendo investido desde o início da primeira administração para implantação de uma grande bacia na região entre o Cravo Vermelho e o Guatós. Esta seria responsável pela captação de toda a água do Guatós, Nova Corumbá e outras localidades da região, as únicas da cidade que não receberam investimentos no setor de infraestrutura, drenagem e galerias de águas pluviais.

Ele anunciou que já está com projeto protocolado no Governo Federal para execução destas obras que vão evitar que toda a água do Guatós e Nova Corumbá atinjam o Cravo Vermelho e o Cristo Redentor, cujas galerias e drenagens já estão sobrecarregadas de águas da própria região. Com ajuda de uma fotografia de satélite da cidade, fornecida pela equipe do Geoprocessamento da Prefeitura, Ruiter e o secretário de Gestão Governamental, Cássio Augusto da Costa Marques, mostraram à imprensa o trajeto de toda a água da Nova Corumbá e Guatós que desce entre morros existentes na região, atingindo o Cravo Vermelho, o Cristo e Popular Velha, até chegar à galeria da Rua Geraldino de Barros, antiga Oriental, no bairro Centro América.

"Precisamos construir uma bacia de contenção na região sul da cidade para captar toda a água da região. Foi justamente a ausência de uma obra como esta, a origem dos grandes problemas que nós temos observados nos últimos dias", explicou o prefeito, deixando claro que esta será a sua principal agenda nesta quarta-feira em Brasília. Ele viaja juntamente com o secretário Cássio Augusto, que acompanha o processo desde 2005, quando era o titular da pasta de Infraestrutura.

A região sudoeste também foi lembrada pelo prefeito, ao ressaltar que outro passo será viabilizar o mesmo projeto para conter a água que desce da Nova Corumbá em direção principalmente à Popular Nova e Aeroporto. Ele destacou que estas regiões já estão recebendo obras ligadas à área, entre elas, uma grande galeria no Bairro Aeroporto, que será interligada a outra benfeitoria executada pela Infraero, no Aeroporto Internacional, e que escoar toda a água do Aeroporto, Popular Nova, Jardim dos Estados e outras localidades.