Recuperação de vias com obras de esgoto começa na quinta-feira

Ruas de Corumbá que receberam obras do sistema de esgotamento sanitário, sob responsabilidade da Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul), começam a ser recuperadas na próxima quinta-feira (31). Foi o que informou na manhã desta terça-feira (29) o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), após ser contatado pelo engenheiro Almir Figueiredo, da empresa Equipe Engenharia, que será responsável pela restauração do pavimento, visando à garantia das condições de trafegabilidade e maior conforto à população corumbaense.

Os serviços serão iniciados pelas vias de maior fluxo de tráfego, como a Edu Rocha e a Cyríaco de Toledo, principais acessos aos bairros da parte alta de Corumbá, por onde passou a rede coletora de esgoto. O engenheiro informou ao prefeito que a recuperação das vias foi tratada diretamente com o secretário estadual de Obras Públicas e Transportes, Wilson Cabral Tavares, que tomou conhecimento das condições das vias, após implantação da rede coletora e das ligações domiciliares.

Nesta terça-feira, o secretário municipal de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos da Prefeitura de Corumbá, Ricardo Campos Ametlla, informou que as ruas que sofrerão intervenções não tiveram seus pavimentos restaurados de forma adequada e, com as chuvas intensas, ficaram praticamente intransitáveis. "A fiscalização da Prefeitura já havia detectado o problema e comunicado a Sanesul sobre a necessidade de nova restauração, o que começará a ser feito nesta semana", explicou. As obras do sistema de esgotamento sanitário integram a primeira etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 1).

Casas do PAC

Também está confirmada para quinta-feira a reunião convocada pela Caixa Econômica Federal, entre técnicos da instituição financeira, da Sanesul e da Prefeitura, em que será discutida a readequação do cronograma para conclusão das obras de esgotamento sanitário e também do sistema de abastecimento de água para atender as unidades do PAC – Casa Nova, no conjunto Guatós. O encontro, conforme Ametlla, será justamente para buscar uma solução que viabilize as redes domiciliares de água e esgoto no novo conjunto, possibilitando a ocupação das casas já a partir desse ano.

A maior parte das 800 novas moradias estão concluídas, mas somente 272 famílias foram reassentadas, devido à ausência de água e esgoto. Na reunião, o assunto será amplamente debatido, já que o Governo Federal quer fazer cumprir o cronograma do PAC 1 e colocar todas as casas à disposição das famílias ainda neste ano, com toda infraestrutura que o programa disponibiliza.