Prefeitura inicia cadastramento de pessoas em situação de rua

A Prefeitura de Corumbá iniciou nesta terça-feira (22) o cadastramento das pessoas que se encontram em situação de rua na cidade. O trabalho está sendo realizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania e o levantamento vai auxiliar o Município a formular políticas específicas para essa população, além de promover o acesso aos programas sociais. O cadastro está sendo efetuado por equipes técnicas formadas por profissionais que atuam na própria secretaria, no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e estagiários dos cursos de Serviço Social e Pedagogia.

O levantamento, conforme o secretário de Assistência Social e Cidadania, Haroldo Ribeiro Cavassa, está sendo desenvolvido em parceria com o Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) e o Albergue da Fraternidade José Lins. A intenção é concluir o cadastro até o dia 02 de abril, para em seguida ser iniciada a etapa de tabulação de dados, visando elaboração de um relatório final que deverá estar concluído até o dia 29 de abril. A iniciativa visa incluir estas pessoas, conhecidas como ‘moradores de rua', no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

A gerente de Programas e Projetos Sociais da secretaria, professora Adelma Galeano, coordenadora do projeto, explicou que ele foi idealizado para atender um "segmento formado por uma população heterogenia, com diferente história de vida, tendo em comum apenas a extrema e absoluta pobreza. São pessoas fragilizadas e marginalizadas, que fazem das vias públicas o seu referencial de moradia. A maioria é formada por imigrantes que, muitas vezes, procuram sobreviver por meio de atividades informais".

O trabalho será desenvolvido em etapas. O primeiro passo, iniciado nesta terça, relaciona-se à abordagem social que vai permitir a aproximação, escuta e diálogo com estas pessoas, condições essenciais para assegurar o atendimento e o acompanhamento social dessa população em situação de rua, para construção de vínculos interpessoais e familiares que favoreçam a reinserção social e comunitária e, consequentemente a saída das ruas.

As equipes, na parte da manhã, trabalharam as regiões das praças da Independência e República, além do centro comercial da cidade, Porto Geral, Bairro da Cervejaria e Cacimba da Saúde. À tarde, o cadastramento acontece até às 17 horas em um imóvel abandonado ao lado do Projeto Habilitar, na Estação de Transbordo, escadinha da antiga Feira de Artesanato (próximo à Rua Antônio Maria Coelho, calçadão do cemitério Santa Cruz, Supermercado Panoff, Igreja Matriz e na Feira Brasbol.

À noite, as duas equipes retornam a campo para levantamento de moradores de rua nas regiões da Rua Colombo, entre Antônio Maria e Tiradentes; Estação Rodoviária, Poliesportivo, Clube Riachuelo e Hospital de Caridade; bem como no Posto Paulista, Panoff Center, Restaurante Laço de Ouro, esquina da Frei Mariano com a Avenida General Rondon (Antigo Posto Rio Azul), Escadinha da XV de Novembro (General Rondon). O trabalho será entre as 20 e 22 horas.

No levantamento a Prefeitura está utilizado um questionário enviado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, por meio de uma abordagem direta à pessoa em situação de rua, visando a aplicação das perguntas. O secretário Haroldo Cavassa comentou ainda que, a partir do cadastramento, será possível inserir estas pessoas em programas sociais, inclusive de capacitação profissional, no Centro de Inclusão Produtiva Missão Salesiana de Dom Bosco, que a Prefeitura acaba de assumir.