Prefeitura estabelece ampla parceria com o Centro de Inclusão

A Prefeitura de Corumbá assumiu a administração do Centro Profissionalizante Dom Bosco, transformando-o no Centro de Inclusão Produtiva Missão Salesiana de Dom Bosco. A iniciativa foi viabilizada por meio de um convênio com a Missão Salesiana, o que vai permitir ampliar o leque de atuação com atendimento a um número bem maior de pessoas. A expectativa é formar mil trabalhadores por ano, suprindo assim uma grande lacuna na cidade, que é justamente a capacitação de mão de obra para fazer frente ao mercado de trabalho.

O Centro de Inclusão integra um dos programas desenvolvidos pela Prefeitura por meio da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, que conta também com a parceria do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), que irá disponibilizar cursos profissionalizantes no local. O secretário Haroldo Ribeiro Cavassa explicou, no entanto que esta parceria é mais abrangente. Outras pastas da Administração Municipal também estão integradas ao processo. São os casos das secretarias de Educação, Integração das Políticas Sociais e de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos, bem como a Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal.

A Educação, por exemplo, vai disponibilizar alfabetização dos candidatos que não dominam a escrita nem a leitura, por meio da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que acontecerá no próprio Centro de Inclusão, como uma extensão da Escola Municipal CAIC – Padre Ernesto Sassida. Além disso, carteiras, mesas, armários e outros móveis das escolas e creches municipais, serão reformados pela marcenaria existente no local. A participação da Fundação de Cultura será por meio de oficinas de dança, música e confecção de adornos de decoração para eventos na cidade como Arraial do Banho de São João, Carnaval e outros.

Já as secretarias Especial de Integração das Políticas Sociais e a de Infraestrutura são parceiras por meio do Projeto ‘Se essa Rua fosse Minha' que tem por objetivo a inclusão social com articulação para promover a cidadania e urbanização por meio de geração de renda às famílias em situação de vulnerabilidade social. Os moradores dos locais contemplados pela ação serão inseridos no Centro de Inclusão Produtiva onde, além da confecção das lajotas, poderão participar dos cursos de capacitação que serão desenvolvidos no local, como mais um instrumento para proporcionar geração de renda, inclusão social e pleno exercício da cidadania.

Também no Centro de Inclusão Produtiva funcionará a área de Trabalho, Geração de Renda e Capacitação Profissional que, até então, tinha como sede a Casa da Cidadania, na Rua XV de Novembro. Responsável pelo setor, o professor Dílson Antonio Morais da Fonseca, destacou que a meta é "servir como um elo entre o capacitado e o mercado de trabalho, o que vai ao encontro da política defendida pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira e pelo secretário Haroldo Cavassa", afirmou.

O professor observa que, com o Centro de Inclusão Produtiva, uma das propostas é buscar parcerias com as universidades e com as empresas para montar um banco de dados dos trabalhadores capacitados, visando colocação no mercado, dando as condições básicas para isso. Explicou que o projeto ‘Futuro Profissional' será levado para dentro do Centro, o que permitirá atender o capacitado com orientações básicas de "como se comportar em uma entrevista, tipo de roupas que se deve vestir, comportamento, enfim uma série de requisitos básicos que pode ajudar na hora de se conseguir um emprego. Além de mostrar como fazer um currículo profissional, pois o primeiro passo é fazer um bom currículo que além das informações necessárias deve ser objetivo".