Pesquisa vai traçar o mapa de vulnerabilidade social de Corumbá

A Prefeitura de Corumbá inicia em abril, uma pesquisa para traçar o nível de vulnerabilidade e risco social de cada região do município. O trabalho vai identificar a presença de serviços na Rede Socioassistencial, e subsidiar a elaboração de políticas públicas visando ampliar ainda mais o atendimento a esta camada da população. Será desenvolvido pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania, por meio do projeto "Mapa de Vulnerabilidade Social" e terá como público alvo as crianças, mulheres, adolescentes, deficientes físicos e idosos.

Ao anunciar a realização do projeto, o secretário Haroldo Ribeiro Cavassa fez uma referência ao papel da assistência social, um direito do cidadão para promoção e proteção da vida, com a finalidade de reduzir danos, monitorando a população em risco, prevenindo impactos sobre a vida das pessoas. "Ao mapear o município, vamos obter subsídios e informações importantes sobre o grau de vulnerabilidade da família corumbaense, que vai nos permitir elaborar políticas públicas eficazes para atender esta camada da sociedade".

O projeto foi idealizado pela Gerência de Programas e Projetos Sociais da secretaria. Segundo Adelma Maria Pinto Galeano, responsável pela área, o trabalho levou em conta que as vulnerabilidades estão presentes em determinados grupos de pessoas e de famílias, não apenas em virtude da carência de recursos e capacidades individuais, mas também, nas redes de amizade, de vizinhança, nas relações profissionais e Institucionais mais próximas espacialmente. Nesse sentido, seu enfrentamento, exige um olhar não apenas sobre as famílias e, dentro das famílias, sobre os grupos sociais mais vulneráveis, mas também para sua localização geográfica.

Crianças, mulheres, adolescentes, deficientes físicos e idosos são os grupos reconhecidos como os mais vulneráveis nas políticas de assistência social, são heterogêneos e podem estar sujeitos a diferentes tipos de riscos, dependendo de sua localização geográfica. Nesse sentido, o desafio colocado às políticas de enfrentamento as suas vulnerabilidades é a de considerar ações diferenciadas para grupos distintos, dentro de uma mesma região e, entre as regiões, ações diferenciadas para um mesmo grupo social.

"O que se pretende é a criação de perfis territoriais, apontando os tipos e grau de vulnerabilidades presentes, nos quais é possível identificar que tipo de vulnerabilidade que está mais ou menos presente em cada um deles. A partir desse mapa poderemos potencializar o diálogo de integração entre o Poder Público e a sociedade civil para otimizar as ações em cada uma dessas áreas. Será uma ferramenta de planejamento público, um macro retrato da cidade de Corumbá que deve ser aprofundado para produzir efeitos a médio e longo prazo", destacou Haroldo.

A pesquisa será realizada por estagiários de universidades da região, sob coordenação de técnicos da Secretaria de Assistências Social e Cidadania. A abordagem empregada será o quantitativo, realizado por meio de entrevistas pessoais com base em um questionário estruturado contemplando questões que permitam traçar o perfil social das famílias do município de Corumbá. A abordagem será nas próprias residências dos entrevistados, em todos os bairros da cidade. Adelma observou que a base da pesquisa será por amostragem levando em consideração residência que apresentem características de vulnerabilidade e com renda mensal de até três salários mínimos.