Haroldo diz que Prefeitura vai buscar inserção do trabalhador

O projeto desenvolvido pela Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, que começa ser colocado em prática no Centro de Inclusão Produtiva Missão Salesiana de Dom Bosco, vai buscar também a inserção da pessoa capacitada no mercado de trabalho local e até mesmo em outras cidades. É o que informa o secretário Haroldo Ribeiro Cavassa em atendimento a uma orientação do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT).

"O Centro de Inclusão Produtiva será ferramenta fundamental para que possamos capacitar o trabalhador corumbaense e até mesmo aquelas pessoas de fora, mas que estejam sendo assistidas por programas do Município. Além disso, no final dos cursos, daremos assistência aos mesmos, auxiliando os mesmos na inserção ao mercado de trabalho", ressaltou Haroldo. Explicou que até mesmo os moradores de ruas, que serão cadastrados pela Assistência Social, poderão participar dos cursos, desde que passem a integrar programas assistenciais, inclusive os oferecidos pelo Centro de Atendimento Psicossocial – álcool e drogas (CAPS ad).

Haroldo observou ainda que a viabilização dessa parceria com a Missão Salesiana, vem ao encontro das necessidades de Corumbá, que tem aproximadamente dez mil famílias no Cadastro Único da Assistência Social e aproximadamente 6.400 beneficiadas pelo Programa Bolsa Família. Na Proteção Social Básica, o Município disponibiliza seis Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), com aproximadamente 30 mil famílias referenciadas, com objetivo de prevenir a ocorrência de situações de vulnerabilidades e riscos sociais nos territórios, por meio do desenvolvimento de potencialidades, aquisições e fortalecimento de vínculos familiares e comunitários e da ampliação do acesso aos direitos de cidadania.

"Por meio dos atendimentos realizados pelos CRAS e junto aos dados do Programa Bolsa Família, verificou-se o baixo nível de remuneração das famílias beneficiárias desses programas. Ciente desta problemática, nos propomos implementar oficinas de inclusão produtiva visando proporcionar às famílias de baixa renda e migrantes, que permaneçam por tempo superior a 60 dias na cidade, uma oportunidade a mais de inserção no mercado de trabalho, aumentando assim a dignidade de famílias", salientou o secretário, que busca gerar oportunidade de trabalho e renda, fortalecendo os CRAS, além de capacitar profissionalmente os participantes do projeto, contribuindo para a melhoria dos processos produtivos com inovações.