Depois do Cravo, Prefeitura inicia recuperação de ruas da cidade

Durante a Ação Prefeito Presente emergencial no Cravo Vermelho, o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) anunciou que toda a cidade de Corumbá será atendida pelo setor de infraestrutura para recuperar as ruas pavimentadas danificadas pelas chuvas. A intervenção atingirá também as vias que receberam obras de rede de esgoto sanitário, cujas obras de restauração do pavimento foram reprovadas pelas equipes de fiscalização da Prefeitura Municipal.

O assunto foi tratado durante a reunião de trabalho preparatória para o Prefeito Presente no Cravo Vermelho. "Sabemos que a cidade foi bastante castigada pelas chuvas. Estamos começando pelo Cravo Vermelho, que é a nossa prioridade, principalmente por se tratar de famílias que precisam até mesmo ser removidas, além de dar condições de tráfego a estas ruas que foram bastante danificadas", comentou, lembrando que tratou com a Secretaria de Infraestrutura, "quais os rumos que vamos tomar em relação às empresas que estão ‘colaborando' para danificar as ruas da cidade", se referindo diretamente às obras de esgoto que ele considera importantes para a saúde da população e o meio ambiente.

O chefe do executivo corumbaense já adiantou que os serviços para recuperar as ruas com maior fluxo de veículos, são prioritários. "Já começamos a fazer, de forma paliativa, até para dar condição de tráfego em alguns pontos da cidade, com a operação tapa buracos, mesmo não sendo o mais recomendado tecnicamente, pedi para a secretaria avançar nisso", reforçou, como forma de minimizar os efeitos dos buracos que surgiram com as chuvas e com a má qualidade dos serviços de recuperação do asfalto após as obras de esgoto, que são um transtorno para os motoristas e para dar mais condições de segurança às pessoas que transitam por estas vias.

Ruiter deixou claro que, em um segundo momento, a Prefeitura vai ‘atacar' com maior ênfase todas as vias danificadas, se possível com recapeamento asfáltico. Serão ruas que a operação tapa buracos já não é suficiente. "Se precisar que sejam repavimentadas, elas serão", enfatizou. Os recursos para estas obras, segundo ele, serão oriundos do próprio Município ou mesmo verba federal "que nós já estamos buscando junto ao Governo Federal".

Neste sentido, o senador Delcídio do Amaral e demais integrantes da bancada federal sul-mato-grossense em Brasília, já estão viabilizando uma agenda de Ruiter no Ministério das Cidades, para tratar da viabilização de um projeto no valor de R$ 8 milhões, que serão aplicados na recuperação do pavimento da cidade. O assunto foi tratado em Brasília (DF), na última viagem do prefeito, quando foi definida a liberação de R$ 2 milhões oriundos de um projeto de Corumbá que tramitava no Governo Federal, e mais R$ 1,5 milhão referente ao restante (50%) de uma emenda do deputado federal Vander Loubet.

Governo do Estado

O prefeito informou também que já está agendando uma audiência com o governador André Puccinelli (PMDB), que pode acontecer na próxima semana, para tratar dessas questões. "Vamos mostrar os problemas que nossa cidade enfrenta, muitos dos quais motivados pela péssima recuperação do serviço de esgotamento sanitário em nossas vias", destacou, lembrando que entregará ao governador, um vasto material, inclusive com imagens "para comprovar e atestar a veracidade daquilo que estamos afirmando. Vamos levar toda essa documentação para o governador e espero que ele reconheça e ajude a refazer aquilo que foi motivado pelo estrago das obras da Sanesul".

Ruiter, no entanto, foi decisivo ao afirmar que não vai esperar outras ações com recursos da União ou mesmo do Estado, para iniciar as obras de recuperação da cidade. "Vamos realizar os serviços e tomar os caminhos, tomara que não seja necessário, judicial para se recuperar o que o Município vai aplicar para recuperar os danos causados por estas obras", reforçou.

Ruiter salienta que a equipe técnica da Secretaria de Infraestrutura, que recusou mais de 70% dos serviços de restauração das ruas que receberam obras de esgoto. O levantamento foi feito pelo setor de fiscalização que detectou má qualidade das obras. "Encaminhamos o relatório para a Sanesul, para a Secretaria de Obras do Estado e também vou levar este material para o governador, além de pedir evidentemente para o Estado, que tem muito mais condições que o município, nos auxiliar num momento como este. Sabemos que vários municípios, infelizmente, estão passando também por esta situação, não é só Corumbá. Mas entendemos que o governador administra todo o Mato Grosso do Sul, incluindo Corumbá", concluiu.