Corumbá discute ações para despoluição e uso sustentável da água

A redução dos níveis de poluição e o uso de forma sustentável da água estão sendo discutidos nesta terça-feira (22) em Corumbá, dentro das comemorações do Dia Mundial da Água, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 22 de março de 1992, quando foi divulgada a "Declaração Universal dos Direitos da Água". A Jornada Educativa Água e Vida no Pantanal ocorre no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez, como uma realização da Prefeitura de Corumbá, por meio da Fundação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário, em parceria com a Embrapa Pantanal, Comando do 6º Distrito Naval, ONG Paz e Natureza Pantanal, Instituto Homem Pantaneiro (IHP) e MMX.

A jornada foi aberta às 8h30, com apresentações culturais entre eles o espetáculo ‘Na Cabeceira dos Rios', do Moinho Cultural Sul-Americano. Em seguida, servidores da Secretaria Municipal de Saúde encenaram a peça Loucos Contra Endemias , focando a importância da água e como a população pode contribuir para que não se transforme em focos de doenças. A abertura dos trabalhos foi feita pela diretora presidente da Fundação de Meio Ambiente, Luciene Deová, que destacou a importância de se discutir ações que possam refletir na conservação e redução da poluição, e pelo comandante da Polícia Militar Ambiental de Corumbá, major César Freitas Duarte.

"Setenta por cento da superfície do nosso planeta é água. Por isso temos uma falsa sensação de que trata-se de um recurso infinito. Temos em abundância, mas com pouca qualidade", comentou Deová, para lembrar que a maior parte de água do planeta é água salgada, do mar (97%), imprópria para consumo. Há ainda pequenos percentuais que formam as geleiras (2,75%) e os rios subterrâneos (1,24). Um percentual bem mais reduzido ainda, 0,007%, é considerado apropriado para o consumo de mais de seis bilhões de os pessoas.

"Por tudo isto temos que discutir o que pode ser feito para conservar e reduzir a poluição. Água contaminada causa doenças e mortes. É o que estamos buscando fazer durante todo esta terça-feira, levando informações para os alunos e para a comunidade de uma forma geral", afirmou Luciene Deová. Para a presidente da Fundação, o assunto merece ser tratado com intensidade e por todos, inclusive atravessando fronteiras. "Todos nós temos responsabilidade, reduzir impactos. A situação é preocupante também em Corumbá e, por isto mesmo, temos que utilizar o líquido de forma correta, sustentável", reforçou.

Um dos destaques da manhã foi a palestra do analista ambiental da MMX, Fábio Rodrigues, sobre ‘Água: um bem de todos'. "O foco é justamente a educação ambiental para o uso correto e sustentável dos recursos hídricos", destacou Rodrigues que procurou passar "boas dicas" aos alunos da Rede Municipal de Ensino, sobre como utilizar a água em casa. "Precisamos evitar desperdícios, mostrar que se trata de um bem precioso e que a sobrevivência depende do uso racional.

O analista revelou que a mineradora desenvolve um programa de gestão de recursos hídricos que começa já no processo de licenciamentos ambientais, passando inclusive pelo ‘reuso da água'. "Na MMX, 70% da água passa por um processo de recirculação para evitarmos o desperdício. Além disso, fazemos também campanhas internas, atendendo os trabalhadores, para evitar o desperdício não só na empresa, mas também em suas residências", observou.

A manhã foi encerrada com uma segunda palestra a cargo da doutora Márcia Divina, da Embrapa Pantanal, sobre Água e Preservação. A Jornada prossegue às 14 horas, com as apresentações do Moinho Cultural e da Secretaria Municipal de Saúde; seguidas de palestras com Fábio Rodrigues e com a doutora Márcia Toffani, da Embrapa Pantanal sobre Fossa Séptica Biodigestora.

Também serão oferecidas oficinas de artes com papel reciclado e a projeção do filme institucional Água, ambos a cargo da ONG Paz e Natureza Amor. Às 17 horas, acontece a premiação do concurso fotográfico Cliquei Água, Cliquei Vida e a entrega do prêmio Incentivo ao Voluntariado Ziad Dawad Ibraim aos vencedores e a entrega de kits educativos aos professores participantes e incentivadores nas escolas.

A Jornada conta também com exposições do 6º Distrito Naval sobre as ações da Marinha do Brasil; da Embrapa Pantanal, com livros e imagens das espécies invasoras no Pantanal, fotos da doutora Catia Urbanetz, e uma exposição de animais da fauna pantaneira taxidermizados, a cargo da Polícia Militar Ambiental de Corumbá.