Comunidade participa e auxilia Prefeitura durante o Povo das Águas

Foco do Programa Social Povo das Águas, as comunidades ribeirinhas também são importantes parceiras da Prefeitura de Corumbá durante as ações realizadas nas áreas isoladas do Pantanal. Os locais onde as equipes do Município realizam os atendimentos sociais, médicos, odontológicos e educacionais são disponibilizados e preparados pelos próprios moradores, que ajudam de diversas maneiras. Alguns emprestam mesas, cadeiras, enquanto outros auxiliam no preparo do almoço da comitiva. Há até quem cede a própria residência para que os médicos, dentistas e vacinadores possam desempenhar suas funções.

"Fico muito alegre quando me avisam que a ação está chegando aqui. Durante muitos anos fomos uma comunidade esquecida. Graças a Deus isso mudou muito", comentou Alair Lopes Nascimento, 67 anos, moradora do Porto Sairu, última localidade visitada pela sétima edição do Povo das Águas, entre os dias 22 e 24 deste mês. "Esta é uma conquista muito importante para todos nós", disse a pantaneira, que completou: "Nasci e criei meus filhos aqui no Bracinho. Amo essa região e não pretendo sair daqui nunca".

Morador do Corixão, o pescador Jefferson Esdras de Arruda, 31 anos, foi outro que ajudou muito durante a ação. Ele atuou como guia da comitiva pelos leitos estreitos e assoreados do rio Taquari. Para chegar até a comunidade onde ele vive com a mulher e os filhos, foram quase duas horas de zinga para vencer os gigantescos baceiros que se formam nesta época de cheia. "Ninguém esperava que chovesse tanto assim. Ficamos quase isolados", detalhou Coca, apelido pelo qual Jefferson é conhecido.

Outra importante função dos ribeirinhos é a divulgação do calendário de atendimento. Assim que as rádios começam a propagar os locais e horários em que as equipes do Município estarão atendendo, os próprios moradores tratam de espalhar a notícia por toda a localidade. As lanchas boiadeiras e cargueiras, principais meios de locomoção na região, também auxiliam nesta missão. "Um escuta e vai passando para outro vizinho, que fala para o outro e assim vai. Não dá para deixar uma oportunidade dessa passar", disse Odete Castelo, 52 anos.

"Fui ao médico e levei meus netos no dentista. Eles ainda receberam as vacinas que faltavam", contou a alegre moradora, que andou um bom tempo a cavalo para poder participar da ação. "Aproveita para agradecer o prefeito Ruiter (Cunha de Oliveira – PT) por este trabalho e diz que já estamos esperando a próxima", pediu Odete, aos risos, esbanjando simplicidade e simpatia, uma marca dos ribeirinhos pantaneiros. O cronograma da Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais, que coordena o programa, prevê mais uma viagem ao Taquari neste ano.