Abertas as inscrições para cursos do Centro de Inclusão Produtiva

Já estão abertas as inscrições para os cursos do Centro de Inclusão Produtiva Missão Salesiana de Dom Bosco, antigo Centro Profissionalizante Dom Bosco, que passou a ser administrado pela Prefeitura de Corumbá, por meio de uma parceria com a Missão Salesiana/Cidade Dom Bosco. O centro está sendo coordenado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania e os interessados devem procurar a sede da instituição, na Rua 13 de Junho 2.660, bairro Dom Bosco.

O secretário de Assistência Social e Cidadania, Haroldo Ribeiro Cavassa, informa que a partir do estabelecimento desta parceria com a Missão Salesiana, o Centro de Inclusão Produtiva amplia o seu leque de atuação, estendendo os cursos também a pessoas beneficiadas pelo Programa Bolsa Família, participantes dos Centros de Referência de Assistência Social; pais de alunos das escolas públicas que estejam fora do mercado de trabalho; migrantes que permaneçam na cidade por tempo superior a 60 dias que estejam sendo atendidos por programas da Assistência Social; pessoas em situação de vulnerabilidade social que buscam qualificação profissional para inserção no mercado de trabalho; e adolescentes a partir de 16 anos e jovens carentes em situação de vulnerabilidade ou risco social. Antes, era somente para pessoas atendidas pela Cidade Dom Bosco.

Os cursos acontecerão nos períodos matutino, vespertino e noturno. Poderão ser oferecidos dois cursos por ano, perfazendo um total de seis turmas (cada curso) com exceção da Informática que poderá oferecer quatro cursos ao ano, perfazendo um total de dezesseis turmas, com no máximo 25 alunos e no mínimo 20. A capacidade de atendimento por ano será de 1.100 famílias. A meta da Prefeitura é capacitar cerca de 1 mil trabalhadores por ano. Para se inscrever, o candidato deverá apresentar Carteira de Identidade e comprovante de residência.

As matrículas podem ser feitas pelo próprio interessado, quando maior de idade, ou por seus pais ou responsáveis, se for menor. Para se inscrever, o aluno deverá ser alfabetizado. Caso não seja, a própria Secretaria de Assistência Social e Cidadania fará o encaminhamento para o curso de alfabetização da Educação de Jovens e Adultos (EJA), a cargo da Secretaria de Educação, que será ministrado no próprio Centro de Inclusão, como uma extensão da Escola Municipal CAIC Padre Ernesto Sassida. A novidade é que, neste caso, o interessado, neste caso já estará com sua vaga garantida no curso pretendido, podendo frequentar a capacitação após alfabetizado, ao mesmo tempo em que participa do EJA, mas em horário diferenciado.

Estão sendo oferecidas vagas para os cursos de Corte e Costura, que terá carga de 480 horas anual e 120 dias letivos; Solda e Montagem, com 320 horas de carga e 80 dias letivos; Panificação e Confeitaria, com 320 horas e 80 dias letivos; Informática, 320 horas e 80 dias letivos; Cabeleireiro, 360 horas e 120 dias letivos; Serralheria, 320 horas e 80 dias letivos; Serigrafia, 320 horas e 80 dias letivos; Manicure e Pedicure, 240 horas e 80 dias letivos, além de Libras, que terá carga de 240 horas e 129 dias letivos.

Conforme a professora Adelma Galeano, da Gerência de Políticas Sociais da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, somente na manhã desta segunda-feira, mais de 30 pessoas providenciaram suas inscrições no Centro de Inclusão. Ela observa também que outros cursos também são oferecidos, por meio de parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC), como salgados diversos, mensageiros, customização e reciclagem, operador de supermercados, técnica de atendimento de garçom e panificação caseira.

Resgatar a autonomia

Haroldo Cavassa, ao anunciar o convênio com a Missão Salesiana, destacou que a iniciativa é uma forma de resgatar a autonomia das famílias usuárias da Política de Assistência Social, por meio do incentivo à geração de trabalho e renda, promovendo ações de capacitação, instrumentalização para o trabalho e formação de grupos de produção. Observou que, dessa forma, a Prefeitura de Corumbá está abrindo um campo importante para que estas pessoas de capacitem e passem ter condições de se auto-sustentar, não ficando mais na dependência de programas sociais como o Bolsa Família.

"É uma forma de melhorarmos a qualidade de vida dos munícipes de Corumbá, proporcionando oportunidade a mais de inserção no mercado de trabalho, aumentando a dignidade das famílias que, muitas vezes, dependem apenas do benefício do Programa Bolsa Família", acentuou Haroldo, anunciando que os investimentos no projeto estão sendo garantidos pelo Fundo Municipal de Assistência Social (FMIS) e pelo Programa de Apoio Integral a Família (PAIF).