Em seis semanas, Saúde notifica 47 casos de dengue em Corumbá

A Prefeitura de Corumbá notificou 47 casos de dengue nas seis primeiras semanas epidemiológicas de 2011, referentes ao período de 1º de janeiro a 12 de fevereiro. A informação é da Secretaria Municipal de Saúde, que detectou uma significativa redução em relação a 2010, quando a cidade estava com 296 notificações. Na manhã desta quarta-feira (16), o órgão divulgou novo gráfico comparativo. Em 2011, o número de casos na primeira semana epidemiológica foi 22; nenhum caso na segunda; dois na quinta e seis na sexta. Já em 2010, foram 13 na primeira semana; 21 na segunda; 51 na terceira; 68 na quarta, 61 na quinta, e 82 na sexta.

Conforme a coordenadora geral de Vigilância em Saúde, médica veterinária Viviane Ametlla, os índices continuam abaixo de 2010, mas que é preciso manter todas as ações, para evitar epidemia da doença. "Devemos continuar atentos, combatendo a dengue, eliminando os focos, para não sofrermos uma epidemia. Não podemos relaxar, temos que manter as ações e contar com apoio da população que é primordial para evitar o crescimento de casos", observa, lembrando que o aumento de casos ocorre justamente após períodos intensos de chuva.

Para evitar que este quadro mude, a coordenadora salienta que é preciso manter o trabalho que vem sendo realizado, reforçado pelos homens contratados pela Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos. Eles estão sendo destacados para limpeza de terrenos baldios o que possibilitará eliminação dos focos da dengue. Viviane ressalta também o apoio de parceiros, como os soldados do Exército Brasileiro, que participam da mega operação desencadeada deste outubro do ano passado.

Viviane lembra que todo o trabalho é desenvolvido com auxílio de um mapa da região urbana, elaborado de acordo com a classificação de taxa de incidência, baseado no Levantamento de Índice Rápido de Infestação de Aedes aegypti (LIRAa) e nos casos notificados até o presente momento. A área urbana, conforme a coordenadora, foi dividida em 54 microáreas, informando inclusive os setores considerados de risco muito alto da doença.

Pelo mapa, as microáreas do Maria Leite, Lunas Clube, Andorinha, Sagrado Coração, Jardim dos Estados, Rotary e portal de entrada da cidade, apresentam risco muito alto de dengue. Já com risco moderado estão a Agesa, Marina Gattas, Dom Bosco, Cacimba, Avenida General Rondon, Jardim da Independência, Beira Rio, Correios, Museu, Rodoviária, Explorer, SSCH, UFMS, Sebrae, Ferroligas, TV Morena, Igreja São Vicente, Clio Proença, DOF, Piuva, São Bartolomeu, Janjão, Cravo Vermelho, Popular Nova, Ângela Perez, Rachid Bardauil, Corcal e João de Brito. Com risco baixo de dengue estão o Generoso, Cervejaria, Esplanada, Santos Dumont, Cerâmica, Fernando de Barros, São Gabriel, Anel Viário, Detran, Breno de Medeiros, Cristo Redentor, Humberto Pereira, Otacílio Faustino e Transamérica.