Concurso retoma tradição dos encontros de cordões carnavalescos

Uma das marcas do Carnaval de Corumbá, os encontros dos cordões fizeram a alegria dos foliões durante décadas. “Temos uma fotografia de 1922 que mostra um concurso de cordões no Jardim. É o passado, a historia da nossa festa”, comentou a diretora-presidente da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal, Heloísa Helena da Costa Urt. Resgatando esta tradição, a Prefeitura Municipal realizou nesta sexta-feira (25) o Concurso de Estandartes dos Cordões.

O vencedor foi o Cravo Vermelho, com 143 pontos. O Paraíso dos Foliões ficou em segundo lugar, o Flor de Corumbá ficou em terceiro e o Cinelândia em quarto. As porta-estandartes das entidades carnavalescas foram julgadas por uma comissão que avaliou os quesitos riqueza de detalhes, criatividades e identificação do cordão. A premiação foi de R$ 1 mil que foi dividida entre os quatro cordões, após acordo.  “Decidimos isso antes dos desfiles, já que todos estão precisando desta ajuda”, comentou o presidente do Cravo Vermelho, Ademir da Costa Leite.

O Concurso de Estandartes lotou o Jardim da Folia, que já se tornou espaço para toda a família corumbaense. “Retomar este concurso é valorizar os cordões, estimular os integrantes a manter esta festa linda e recolocar Jardim da Independência em seu lugar, como principal ponto de encontro do Carnaval de Corumbá”, completou Heloísa.

Parte importante da história local, os cordões abrem a última noite da folia corumbaense. Durante o Carnaval Cultural, também desfilam pela avenida General Rondon o Corso, o Bloco do Frevo, a Ala das Pastoras, dos Marinheiros, o Bloco das Bruxas e o Bloco dos Palhaços. O Carnaval Cultural tem o objetivo de reviver o romantismo do século passado, quando a festa de momo era brincada de forma quase ingênua pelos moradores da cidade.

História

Fundado em 1944 por Odil Xavier Flores, o Cravo Vermelho foi campeão por mais de 22 vezes nos desfiles da cidade. Em 2010, o cordão saiu com 150 integrantes e cantou o enredo "Cravo Vermelho Traz o Encanto do Sol na Magia do Fogo". O Paraíso dos Foliões ainda é mais antigo. Foi formado em 1933 com o nome de "Mama na Burra". No ano seguinte, o nome que carrega até hoje. Com o enredo "Alegria Alegria", a agremiação levou 200 empolgados integrantes para a avenida no ano passado.

Também criado em 1933, por João Teodoro de Araújo, o popular "Peito de Aço", o Flor de Corumbá desfilou até o ano de 1946. Depois retornou à passarela em 1983, já com a presidência de Alcides dos Santos Silveira, o Pombinho, falecido no ano passado. O último desfile de Pombinho foi ao som do enredo "Carnaval à moda antiga", que arrastou mais de 200 componentes.

O Cinelândia também teve 200 integrantes e muita alegria com o enredo "Homenagem ao Pantanal". O cordão foi fundado em 12 de outubro de 1967, como resultado de um programa de auditório. O primeiro presidente foi José Jarbas Duarte, que comanda o bloco até hoje.