Canção sobre conscientização vence o 1º Concurso de Marchinhas

A marchinha "AIDS – Varela (Assim falou Dráuzio Varela)" foi a mais votada entre os jurados e venceu o 1º Concurso de Marchinhas Carnavalescas de Corumbá. A canção escrita pelos compositores Claudemir Guilherme da Silva, João Batista da Silva e Souza e Pedro Castro (Pedrão) concorreu com mais nove músicas de autores locais e obteve 192 pontos. Os vencedores levaram o prêmio de R$ 1,5 mil. A final ocorreu na noite deste domingo (20), no Jardim da Folia.

Os jurados deram notas nos quesitos letra, afinação, melodia e interpretação e a partir dos pontos dados por cada um deles foi eleita a grande canção da noite. O trabalho de avaliação ficou por conta de: Ednaldo da Silva Ramos, músico; Udemir Domingos dos Santos (Roxo), intérprete; Sandro Grey Machado Neimer, compositor; Felipe Braz da Costa, Mestre Felipe, ritmista da Portela, e Fernando Guarany, músico.

A marchinha vencedora retrata uma preocupação das autoridades de saúde durante os dias de folia, a AIDS. Em uma letra descontraída os compositores passaram a mensagem da importância do uso de preservativos e agradaram aos jurados. "Assisti a uma entrevista do médio Dráuzio Varella e ele disse que a AIDS é uma doença silenciosa e tive a idéia de fazer uma letra sobre este assunto, que fica em bastante evidencia durante os dias de Carnaval", contou Claudemir Guilherme da Silva, um dos compositores. "Além de uma marchinha carnavalesca é um alerta sobre os perigos desta doença", complementou "Pedrão". João Batista também ajudou na composição da letra vencedora.

Em segundo lugar ficaram empatados "Marchinha do Calor" e "Peixada Carnavalesca", com 184 pontos. A terceira colocação foi da canção "Marchinha Corumbaense", que conquistou 180 pontos. Para concorrer, todas as músicas eram inéditas, com intérpretes escolhidos pelos compositores e acompanhadas por uma banda designada pela Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal, organizadora do evento.

O Jardim da Folia, montado na Praça da Independência, retoma as festas dos antigos carnavais, que ocorriam naquele local. A presença em peso da população corumbaense mostra que a tradição das marchinhas ainda permanece viva no gosto popular. "Quando se pensa em Carnaval, na hora lembramos-nos das marchinhas. A Prefeitura de Corumbá está em sintonia com o resto do Brasil, em cidades como o Rio de Janeiro (RJ) e, Salvador (BA) também está acontecendo o resgate das músicas tradicionais da folia, como as marchinhas", comentou a diretora-presidente da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal, Heloísa Helena da Costa Urt.

O superintendente de Cultura, José Antônio Garcia, lembrou que o Jardim da Folia já se tornou um local para todas as faixas etárias. "A participação da família corumbaense é emocionante. Temos um local para as crianças se divertirem e os pais, tios e avós aproveitam também. O Jardim da Independência volta a ter a importância que tinha em carnavais antigos, quando era considerado o centro da folia", disse.

A primeira etapa do concurso ocorreu no sábado (19) quando 15 composições foram avaliadas. Destas, dez foram classificadas para a final, são elas: "Dizem que dinheiro compra tudo", de Claudemir Guilherme da Silva (Guilherme); "Botaram confete na menina", de Pedro Jorge castro (Pedrão) e Guilherme; AIDS – Varela (Assim falou Dráuzio Varela), de Guilherme, Pedrão e João Batista da Silva e Souza; "Corumbá – Cidade Carnaval", de Islândio de Jesus; "Marchinha Corumbaense", de Fernando Jorge Mata da Silva (Nando da Matta); "Novo Bugão", de João Batista; "Peixada Carnavalesca", de João Batista; "Marchinha da Alegria", de Wender da Silva; "Carnaval no Pantanal", de Jackson Alves de Arruda, e "Marchinha do calor", de Vitor Raphael de Almeida, Nino e Antônio Ávila.