Ações ajudam Corumbá a reduzir o índice de mortalidade infantil

Corumbá continua intensificando ações na área de saúde para reduzir ainda mais os índices de mortalidade infantil que, na década de 90, chegou a registrar 64 óbitos para cada 1 mil crianças com menos de um ano. No fim de 2010, o número caiu para 18,83 e a expectativa da Prefeitura Municipal é reduzir ainda mais agora, em 2011, com massificação dos projetos desencadeados nos últimos anos, principalmente relacionados a aleitamento materno.

Levantamento divulgado pela Gerência de Atenção em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde dá conta que, em 2010, a taxa de mortalidade infantil ficou em 18,83, com 16 óbitos de crianças residentes menores de um ano de idade. "Houve uma redução considerável nos últimos anos. Mas, observamos que ocorreram também oscilações. Nossa preocupação é massificar as ações de forma que possamos manter os índices em queda constante", explicou o médico Emerson Ferreira Moreira, responsável pela área.

O médico observa que, quando a taxa de mortalidade infantil se refere e neonatal, o índice em 2010 foi de 15,16, com 29 óbitos, e o pós-neonatal foi de 3,66, com sete óbitos de crianças entre 28 e 364 dias de vida. "Esta redução se devem aos programas que estamos desenvolvendo na cidade. Vamos intensificar ainda mais para que, agora em 2011, estes números caiam mais ainda", ressaltou Emerson.

Entre os programas desenvolvidos na área de saúde em Corumbá, considerados importantes para a redução dos índices de mortalidade infantil, estão aqueles ligados ao aleitamento materno. É uma orientação do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) que está sendo seguida à risca. Tanto é que, em 2010, Corumbá se tornou a primeira cidade do País a integrar a Rede Amamenta Brasil.

Para fazer parte da Rede, Corumbá capacitou 16 tutores, envolveu 17 Unidades Básicas de Saúde da Família, envolvendo mais de 300 profissionais que estão contribuindo sobremaneira para o aumento do aleitamento materno e, consequentemente, diminuição dos índices de mortalidade infantil. "Além disso, tivemos outros programas importantes que continuam sendo desenvolvidos e serão massificados ainda mais em 2011", explicou Emerson.

Conforme ele, a presença do médico pediatra na sala de parti da Maternidade de Corumbá, contribuiu para a melhoria da qualidade de assistência aos recém-nascidos. Outro fator é o acompanhamento da dupla, mãe e bebê, por parte das equipes das Unidades Básicas de Saúde, nas primeiras semanas, por meio da assistência integral, para evitar óbitos na primeira semana de vida do bebê. Além disso, a Prefeitura está desenvolvendo ações voltadas ao pré-natal de alto risco, por meio de um programa voltado à saúde da mulher, garantindo a saúde da mãe e do próprio bebê.

"São programas fundamentais para garantir a saúde das mães e dos bebês. Amamentar é muito importante e garante a saúde do bebê. Mas, antes disso, é preciso cuidar da mãe, por meio do pré-natal, acompanhando casos inclusive de alto risco. Bem feito, protege a mãe e o bebê", salientou Emerson, lembrando que a preocupação da Prefeitura é continuar investindo na prevenção que, em Corumbá, está sendo fundamental para reduzir a mortalidade infantil.