Recursos do FMIS garantem melhorias para entidades de Corumbá

Focadas na busca por melhor qualidade de vida para famílias e indivíduos mais necessitados, entidades sociais de Corumbá conveniadas ao Conselho Municipal de Assistência Social veem como "extremamente necessários" os recursos destinados a elas por meio do Fundo Municipal de Investimentos Sociais (FMIS). A partir da elaboração e apresentação de projetos, que contemplam desde a manutenção básica até reformas e investimentos na estrutura das entidades, elas recebem um auxílio para a realização de suas atividades cotidianas. Aprovado pelo Comitê Avaliador do fundo, o auxílio é imprescindível para que as instituições continuem em funcionamento.

Esta é a opinião, por exemplo, do presidente da APAE de Corumbá, Milton Carlos de Melo: "Não temos renda fixa para a manutenção e custeio da entidade, então a sociedade pode ter uma ideia da ajuda que o FMIS proporciona". Desde 2005, ele contabiliza diversas melhorias graças a projetos aprovados pelo fundo, como a pintura da sede, a construção de um galpão, a aquisição de equipamentos e de materiais de consumo. "Se não tivéssemos esse auxílio, não poderíamos atender tanta gente com qualidade", completou o dirigente da instituição que acolhe 173 pessoas com deficiências intelectuais e múltiplas, na escola, e mais 38 pacientes na clínica.

O fundo também é essencial para a gestão da Associação de Pais e Amigos de Prevenção e Assistência aos Usuários de Drogas de Corumbá e Ladário (ACLAUD). Por meio de um tratamento de internação, com duração de nove meses, a entidade trabalha na reabilitação de dependentes químicos. "Sem a parceria com a Prefeitura de Corumbá, não teríamos condições de trabalhar. O FMIS foi um divisor de águas", comentou Cândido Antônio Pinheiro Martins, diretor da entidade. Entre os projetos aprovados e executados na associação, estão aquisições de veículos, de materiais de consumo, além da reforma e instalação de uma sala de informática para os pacientes.

O Comitê Gestor do fundo, formado por titulares governamentais e não-governamentais, recebe os projetos e ainda acompanha o repasse e o uso dos recursos. Desde o início do mandato do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), o município já repassou R$ 1.953.336,98 para entidades sociais da cidade, sendo que R$ 984.924,13 foram aplicados somente em 2010. Na avaliação do secretário municipal de Gestão Governamental, Cássio Augusto da Costa Marques, presidente do comitê, o instrumento tem sido fundamental para o Município ampliar sua atuação nas questões sociais de forma mais específica, por meio do trabalho das entidades.