Prefeitura vai combater descarte de lixo em terrenos baldios

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Corumbá está tomando todas as providências jurídicas necessárias para penalizar com rigor aquelas pessoas que fazem o descarte incorreto de lixo em terrenos baldios. No último dia 27, uma equipe do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) flagrou menores de idade, despejando lixo em um terreno baldio na rua Barão do Melgaço, em frente ao Rotary Club, utilizando uma carroça. O fato foi registrado, inclusive com fotos, e encaminhado pela supervisora Margarida Bazan à Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde, para providências necessárias.

Na manhã desta sexta-feira, 28, a coordenadora, médica veterinária Viviane Ametlla, informou que vai encaminhar o assunto à Procuradoria Geram do Município. "Já solicitei um relatório detalhado deste e de outros casos, para encaminharmos à PGM, para verificarmos a maneira que poderemos agir legalmente contra estas pessoas que jogam lixo em terrenos baldios", explicou Viviane, ressaltando que, ao fazer descarte de forma incorreta, como o registrado pela equipe do CCZ, a população corumbaense estará contribuindo para surgimento de mais focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue.

Grace Bastos, bióloga do CCZ, informou que o flagrante ocorreu no momento em que a equipe realizava mais uma etapa da megaoperação contra a dengue, de eliminação e limpeza de imóveis, propícios à dengue. A supervisora chegou a conversar com os menores, antes de despejar o lixo no local, e a informação recebida foi que "todos jogam lixo no local e não da nada. Explicamos a situação, mas mesmo assim, jogaram o lixo e foram embora", informou margarida. Ela lembra que são fatos corriqueiros. "Nós fazemos a limpeza e no outro dia há lixo no local novamente", revelou.

Disque Dengue

A Prefeitura reforça a necessidade da população denunciar casos como este e outros que colocam em risco a saúde pública. Para tanto, está em funcionamento o Disque Dengue que tem sido uma arma importante no combate à doença na cidade. Por meio do número 0800 647 2255 (ligação gratuita), a população corumbaense pode informar sobre casos de dengue na cidade, inclusive com denúncias sobre focos do mosquito Aedes aegypti. Implantado por orientação do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), o sistema é mais um aliado na luta contra a doença e permite inclusive acelerar o processo de eliminação de focos e até bloqueio do vírus.

Por meio do Disque Dengue, a equipe coordenada pela supervisora Margarida Bazan, visitou no dia 27, uma casa abandonada e quatro terrenos baldios. Na casa abandonada, na alameda Pescador, número 300, com a avenida Perimetral, no bairro Generoso, a equipe encontrou um morador. O local apresentou condições precárias e foi feita a limpeza e retirado de lá, meia tonelada de lixo.

Já no terreno baldio existente na rua Projetada, quadra G, entre a José Fragelli e Marechal Deodoro, no Guaná II, foi realizada a retirada de oito toneladas de lixo e coletada uma amostra positiva da larva do Aedes aegypti. No terreno em frente ao Rotary, os agentes encontraram muito entulho e reservatórios apropriados para proliferação do mosquito. O mato também estava muito alto.

Outro terreno baldio visitado após denúncia pelo 0800 647 2255, foi o da rua Delamare, 1315, que já havia recebido a visita do CCZ anteriormente. Mesmo assim, o local passou por recuperação. Já na rua Nossa Senhora da Conceição, entre a Gaturama e São Judas Tadeu, no Maria Leite, foram encontrados reservatórios com água, coletada amostra positiva do Aedes, e três toneladas de lixo foi retirado do local. Para se ter uma ideia, nestas visitas, os agentes retiraram dos locais geladeira, fogão, sofá, além de outros tipos de sucatas.