Prefeitura limpa imóveis para evitar proliferação do Aedes aegypti

Imóveis vazios que apresentam sérios riscos à saúde da população estão sendo fiscalizados e limpos por equipes da Prefeitura de Corumbá, como parte das ações de combate à dengue. O trabalho está sendo desenvolvido pelos agentes de endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), com apoio de fiscais da Vigilância Sanitária, todos ligados à Secretaria Municipal de Saúde. Um levantamento apresentado no fim do ano passado mostrou a existência de 79 imóveis na área urbana, considerados vulneráveis à proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Antes mesmo de realizar o levantamento, a Prefeitura desencadeou uma mega operação para limpeza dos imóveis vazios na cidade. A ação, que contou com a participação de soldados do Exército e da Marinha do Brasil, foi realizada em toda a área central. Além das casas, os terrenos baldios também mereceram atenção das equipes, e o resultado foi a retirada de mais de 200 toneladas de entulho desses locais. Mesmo assim, um novo levantamento apresentou outros imóveis considerados como riscos à saúde pública.

A relação desses imóveis foi divulgada para que os proprietários providenciassem a limpeza. Caso isso não ocorra, a Prefeitura faz o serviço, mediante cobrança e multa ao proprietário. Nesta terça-feira (4), por exemplo, equipes do CCZ e da Vigilância Sanitária vistoriaram um imóvel na Rua Sete de Setembro, entre a Delamare e a Avenida General Rondon, onde encontraram grande quantidade de entulho. Foram feitas a limpeza e a eliminação dos focos do mosquito, e o proprietário está sendo notificado.

A bióloga Grace Bastos, do CCZ, informa que esta ação é uma rotina, e orienta a população a manter a limpeza dos imóveis, evitando que a Prefeitura tome outras providências, inclusive notificação e multa. Outra informação é que a fiscalização de depósitos de materiais recicláveis existentes na cidade continua intensa. A intenção é descobrir e eliminar possíveis criadouros do Aedes Aegypti. Os agentes e fiscais estão atuando nos ferros-velhos, amparados pela Lei Municipal nº. 102/2007, que prevê determinações e penalidades para os estabelecimentos que não estiverem adequados às normas de prevenção da doença.

LIRAa

Outra ação da Saúde está relacionada ao primeiro Levantamento de Índice Rápido de Infestação de Aedes aegypti (LIRAa) que está sendo concluído nesta quarta-feira (5) na cidade e que será importante para definir as ações de combate à dengue. Nestes dois dias estão sendo visitados 1.713 imóveis, distribuídos em 257 quarteirões.

Este é o primeiro ciclo biológico de 2011. O levantamento é por amostragem. Estão sendo visitados os bairros Arthur Marinho, Cervejaria, Dom Bosco, Generoso e Centro 1 (resultado da divisão do bairro Centro para fins de amostragem para o LIRAa, estendendo-se dos limites da Rua Edu Rocha até a Rua Antonio Maria), chamado de estrato 1, composto por 43 quarteirões e 427 imóveis. No estrato 2, serão visitados os bairros Beira Rio, Centro 2 (da Rua Antonio Maria à Rua Albuquerque), Maria Leite, Universitário, Industrial e Previsul. O levantamento será feito em 63 quarteirões, com visitas a 428 imóveis.

Já no estrato 3, os bairros trabalhados são o Centro América, Cristo Redentor (composto por: Vitória Régia, Cristo Redentor e Cravo 1, 2 e 3), Nossa Senhora de Fátima, Popular Velha e Guatós, composto por 72 quarteirões e 430 imóveis. No estrato 4, os agentes estão visitando 428 imóveis, localizados em 79 quarteirões nos bairros Aeroporto, Guarani, Jardim dos Estados, Nova Corumbá e Popular Nova.