Prefeitura intensifica eliminação de focos para combater a dengue

Diante do aumento do volume de chuvas neste mês de janeiro em Corumbá, o setor de saúde pública da Prefeitura Municipal intensificou as ações para impedir o avanço da dengue. O objetivo é eliminar os focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti, por meio da limpeza de áreas abandonadas, terrenos baldios e imóveis fechados, paralelamente ao trabalho de conscientização da população para que mantenha as residências limpas. Desenvolvido pela equipe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), o trabalho conta com o apoio fundamental de soldados do Exército Brasileiro e de servidores de outros setores da Administração municipal.

Na manhã desta quarta-feira (19), por exemplo, agentes e soldados concluíram o segundo dia da ação de limpeza de uma área na Alameda Hawaí, retirando uma grande quantidade de lixo, material propício para a proliferação do Aedes aegypti. "A quantidade de lixo no local impressionou", comentou a coordenadora geral de Vigilância em Saúde do Município, médica veterinária Viviane Ametlla, lamentando o fato de que o "depósito foi instalado" no local pela própria população, conforme depoimentos de mototaxistas que têm um ponto na Rua Dom Aquino, próximo ao Cemitério Santa Cruz.

A limpeza foi iniciada na terça-feira e ainda hoje equipes realizavam o trabalho de retirada do lixo, com apoio até mesmo de um caminhão do Exército, instituição que tem sido parceira da Prefeitura desde 2007 nas ações de prevenção e combate à dengue. "A população deve colaborar para evitar ‘depósitos de lixo'. Ao visitar o local, deparamo-nos com uma grande quantidade de lixo, muita garrafa pet e outros materiais, tudo que pode ser foco de procriação do mosquito", reforçou Viviane.

Mais uma vez, a coordenadora solicitou à população que faça sua parte e contribua para a eliminação dos focos do Aedes aegypti e, consequentemente, ajude a impedir o avanço da doença. "Temos que tomar todas as medidas necessárias e a população pode nos ajudar, inclusive informando locais que podem ser focos, ou mesmo denunciando responsáveis por jogar lixo de forma inadequada em terrenos baldios, ou locais como este na Alameda Hawaí. Basta ligar para o Disque Dengue, implantado pela Prefeitura, o 0800 647 2255. A ligação é gratuita e o nome da pessoa é mantido em sigilo", explicou.

Comitê

Ainda de acordo com Viviane, as ações vão continuar em toda a cidade, inclusive com participação de fiscais da Vigilância Sanitária, que estão notificando os moradores que contribuem para surgimento de focos da dengue. O assunto foi amplamente debatido nesta terça-feira (18), em reunião do Comitê de Combate à Dengue, no auditório da Prefeitura.

O Comitê é formado por representantes das secretarias municipais de Saúde e de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos; Fundação de Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário; e Conselho Municipal de Saúde, entre outros órgãos públicos. A reunião foi importante para avaliar o trabalho que está sendo realizado em Corumbá e discutir novas estratégias. O destaque ficou por conta da participação do empresário Wilson Rosa, proprietário do Ferro Velho Nossa Senhora de Fátima, mais um parceiro na luta contra a dengue.

Viviane informou que a participação dele foi significativa para discutir a questão dos ferros velhos e empresas que trabalham com material reciclável na cidade. "Ele estava preocupado com o fato de a ação estar se desencadeando nestes locais. Mostramos que estas empresas são importantes, pois elas retiram da natureza o material reciclável que pode se tornar foco da doença. No entanto, observamos que nem todos agem como ele, que está preocupado e trabalha para evitar os focos. É preciso armazenar o material de forma adequada para evitar o acúmulo de água e o surgimento dos focos", comentou.