Farmácia Central supre as necessidades das Unidades de Saúde

Cidades que mantêm farmácias regionalizadas não necessitam montar uma estrutura de entrega de medicamentos nas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs), com implantação de espaços destinados à recepção, guarda, controle e distribuição de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos. É o que estabelece o Ministério da Saúde, determinação seguida pela Prefeitura de Corumbá, que mantém nas unidades básicas somente medicamentos de uso contínuo, atendendo os programas desenvolvidos pelas equipes da Estratégia de Saúde da Família (ESF).

Conforme o médico Emerson Ferreira Moreira, responsável pela área de Atenção em Saúde do Município, nas unidades são distribuídos somente remédios preconizados pelo Estratégia de Saúde da Família, programa do Ministério da Saúde, tais como hipoglicemiantes, anti-hipertensivos e os relacionados à saúde da criança e saúde da mulher. "Como temos uma farmácia central, o Município não precisa implantar uma farmácia e nem manter um farmacêutico dentro da unidade", explicou.

As informações do médico são confirmadas pelo farmacêutico Rodrigo Vasconcelos, responsável pela Farmácia Central da Prefeitura, que funciona no Centro Integrado de Saúde (CIS). Ele lembra que os remédios distribuídos pelo programa, conforme o que preconiza o Ministério da Saúde, podem ficar nas unidades de saúde sem necessidade de se implantar uma farmácia. "São medicamentos de uso contínuo daquelas pessoas cadastradas e atendidas pelo programa e não é obrigatória a presença de um profissional no local, mesmo porque o ESF não contempla farmacêutico", disse.

Responsável pelo programa em Corumbá, o enfermeiro Franz Martins Eger esclarece que hoje existem 18 UBSFs em Corumbá, sendo 16 na área urbana e duas na rural. Além disso, o município conta também com três equipes do programa Agentes Comunitários de Saúde. Segundo ele, cada unidade básica é responsável pela cobertura de até quatro mil pessoas, trabalho realizado por um médico de família, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e os agentes comunitários de saúde, que são responsáveis pelo acompanhamento das famílias por meio de ações de promoção da saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças. A atuação das equipes ocorre principalmente nas unidades básicas de saúde, nas residências e na mobilização da comunidade.

As unidades

As UBSFs em Corumbá são Dom Bosco, que atende a comunidade do bairro Dom Bosco e parte do Generoso; Ênio Cunha, com atuação na Cervejaria e parte do Generoso; Beira Rio, bairros Beira Rio e Borrowisk; Luiz Fragelli, no Universitário com atuação também na Vila Mamona; Gastão de Oliveira I e II, com atuação nos bairros Maria Leite, Centro América, Previsul, Industrial e Camalote; Popular Velha; Fernando Moutinho I e II, para atendimento aos moradores do Cristo Redentor, e Cravo Vermelho; Humberto Pereira, com atuação no Nossa Senhora de Fátima e parte da Popular Velha.

Há também a Unidade Básica do Aeroporto (agora funcionando na Rua Marechal Floriano, 141), que atende a comunidade do bairro: Breno de Medeiros I e II, com atuação na Popular Nova e Jardim dos Estados; São Bartolomeu, atendendo o Guarani e localidades vizinhas; Paulo Maissato, na Nova Corumbá, e o Kadiwéus, que atende a comunidade do próprio Kadiwéus, Guatós e região. Há ainda os Estratégias de Agentes Comunitários do Kadiwéus, Vitória Régia e do Pedro Paulo, no centro da cidade.

A Unidade Básica de Saúde do Pedro Paulo, é responsável pelo atendimento de toda a população que reside na região periférica da cidade, que não tem cobertura do programa. Na área rural, as duas unidades funcional no Taquaral, atendendo a região, o Paiolzinho, Tamarineiro e o Jacadigo; e a UBSF Mato Grande, que atende o Mato Grande, Urucum, Albuquerque, Maria Coelho e São Gabriel.