Em Corumbá, Farmácia Central atende em média 6 mil receitas/mês

Mantida pela Prefeitura de Corumbá, a Farmácia Central do município atende uma média de 6 mil consultas médicas por mês com medicamentos da assistência farmacêutica na Atenção Básica de Saúde, conforme o que preconiza o Ministério da Saúde. A unidade que funciona junto ao Centro Integrado de Saúde (CIS), ao lado da Estação de Transbordo, é responsável pelo acesso da população a medicamentos gratuitos, em conformidade com o SUS (Sistema Único de Saúde).

Conforme o farmacêutico Rodrigo Vasconcelos, a Farmácia Central, pela qual é responsável, oferece total apoio às Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF) da cidade, bem como ao Pronto Socorro Municipal. "A demanda é alta. Já chegamos a atender uma média de 450 receitas médicas em um único dia. Hoje estamos entre 250 e 300 e não temos problemas com falta de medicamentos. Todos aqueles que integram a atenção básica pactuados pelo Ministério da Saúde e elencados pelo Estado são encontrados aqui", argumenta.

De acordo com Rodrigo, são 116 tipos de medicamentos como analgésico, anti-térmico, anti-inflamatório, para prevenção de má formações do tubo neural, antianêmico, anti-parasitário, prevenção da osteoporose, tratamento da gota, antiarrítmico, anti-depressivo, antibióticos, anti-hipertensivo, anti-parkinsonianos, broncodilatador, anti-psicótico, antialérgico, toxoplasmose, diurético, para reposição hormonal, hipoglicemiante, anticoncepcional, expectorante, laxante, para reidratação, para cardiopatia isquêmica, entre outros.

"Somente não são encontrados na farmácia medicamentos que não fazem parte da lista dos pactuados pelo Ministério da Saúde. Nestes casos e se forem caros, é montado um processo pelo setor social da Secretaria de Saúde para viabilização da compra do medicamento", explica Rodrigo, acrescentando se tratar de uma forma de não deixar a pessoa considerada carente sem o remédio essencial para a sua saúde. Como exemplo, ele cita medicamentos para tratamento de glaucoma e saúde mental.

A farmácia funciona em uma área estratégica no Centro Integrado de Saúde, na entrada à direita, e é dotada também três salas: uma para atendimento ao público, onde ficam as prateleiras com os medicamentos, e outras duas que funcionam como depósito. As atendentes é que fazem reposição do estoque e isto acontece diariamente, diante da grande demanda. Rodrigo explica que todas as pessoas que são atendidas no local integram um cadastro com todos os dados pessoais. A retirada, no entanto, acontece somente com apresentação da receita médica específica do SUS.

A farmácia central funciona de segunda a sexta-feira nos períodos das 7h às 11 horas e das 13h às 17 horas. Aos sábados, o expediente acontece das 8h às 12 horas. No local, além do farmacêutico, três pessoas devidamente capacitadas realizam o atendimento. Uma enfermeira completa o quadro. "Esse sistema visa facilitar ao máximo o acesso da população aos medicamentos distribuídos gratuitamente pelo município, de forma controlada e segura", acrescenta o farmacêutico.