Em 2010, FMIS investiu R$ 1 milhão em projetos sociais de Corumbá

Ao longo de 2010, o Fundo Municipal de Investimentos Sociais (FMIS) destinou quase R$ 1 milhão a entidades filantrópicas de Corumbá, recursos que auxiliam na gestão e, em alguns casos, são a garantia de que continuarão funcionando. Este instrumento, criado pela lei municipal nº. 1647/2000, de 29 de dezembro de 2000, é utilizado pela Prefeitura Municipal para promover ações sociais em parceria com instituições, ampliando a atuação do Poder Público na melhoria da qualidade de vida da população corumbaense. Só no ano passado, o valor investido nas entidades conveniadas foi de R$ 984.924,13, totalizando R$ 1.953.336,98 na gestão do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT).

A aplicação dos recursos é acompanhada por um comitê avaliador formado por titulares governamentais e não-governamentais, que também decide quais projetos são contemplados. Entre as demandas de 2010, foram atendidas as reformas do Asilo São José, orçada em R$ 321.511,99, e do "Geniquinho", nas instalações da Obra Social Santa Maria Domingas Mazaarello, no valor de R$ 54.263,52. Também foram repassados R$ 79.306,29 para a construção do Espaço Educacional do Centro de Recuperação Infantil Padre Antônio Muller (Cripam), e aprovados três projetos para a aquisição de materiais de consumo e permanentes para atender as crianças desnutridas, no valor de R$ 120 mil, R$ 148,5 mil e R$ 100 mil.

O fundo também destinou recursos para a APAE, por meio de dois projetos, sendo um para a compra de utensílios domésticos, no valor de R$ 5.639,13, e outro de materiais de consumo e permanentes na ordem de R$ 100 mil. A Associação de Pais e Amigos de Prevenção e Assistência aos Usuários de Drogas de Corumbá e Ladário (Aclaud) recebeu R$ 40 mil para adquirir materiais de consumo e R$ 60 mil para reforma, aquisição e instalação de equipamentos da sala de informática. A Sociedade Eunice Weaver Corumbá recebeu R$ 55.703,20 para utilizar na aquisição de materiais.

A administração do FMIS em Corumbá é feita pela Secretaria Municipal de Gestão Governamental. "Trata-se de um instrumento fundamental para as entidades conveniadas e ações do Município. Muitas instituições vivem apenas de doações e, muitas vezes, elas acabam não sendo suficientes para manter o custo das atividades. Por isso, o FMIS se torna uma fonte de renda essencial", observou o secretário municipal de Gestão Governamental, Cássio Augusto da Costa Marques, presidente do comitê gestor do fundo.

Ainda conforme Cássio, graças ao FMIS, a Prefeitura tem ampliado substancialmente a atuação nas questões sociais. "Por meio dessas entidades, podemos auxiliar públicos específicos, como no caso do atendimento prestado pela APAE a pessoas com deficiências intelectuais e múltiplas. Como as ações do Executivo municipal são mais amplas, essas instituições auxiliam focos diferentes e que também necessitam de apoio". O instrumento também garante a execução de programas próprios da Prefeitura de Corumbá, como Habilitar, Se essa Rua Fosse Minha e Creche o Ano Todo.