Ruiter sinaliza prorrogação do Programa de Aquisição Alimentar

O prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) já assinou termo visando à prorrogação do convênio do Programa de Aquisição Alimentar (PAA), desenvolvido pelo Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, que está atendendo o pequeno produtor rural, escolas e creches da Rede Municipal de Ensino (Reme), além de instituições filantrópicas da cidade. O documento já foi encaminhado para Brasília-DF e a expectativa é que o aditivo seja assinado antes do fim deste ano, com validade de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2011.

O processo foi acelerado com a vinda a Corumbá da coordenadora do programa, Elenita Correia da Silva, que, desde segunda-feira (13), está participando de uma série de reuniões com os envolvidos com a iniciativa na cidade. Na manhã de ontem, ela se reuniu com o secretário municipal de Gestão Governamental, Cássio Augusto da Costa Marques, com quem tratou do aditivo para prorrogar o Programa de Compra Direta Local com Doação Simultânea, desenvolvido pela Prefeitura Municipal, por meio da Fundação de Terra Pantanal.

Acompanhada do gerente de Estudos e Projetos da instituição, Juraci Aparecido Alves, Elenita está mantendo contatos com pequenos produtores rurais que participam do programa na cidade, bem como com as instituições que recebem os alimentos oriundos da agricultura familiar. Ela classificou como positivo o desenvolvimento da iniciativa em Corumbá, destacando a diversificação dos produtos para o atendimento às entidades filantrópicas, dos alunos e crianças das creches do município.

"O programa é importante porque atende o pequeno produtor rural que tinha dificuldades em comercializar sua produção. São produtos diversificados que estão sendo entregues para entidades que desenvolvem um trabalho sério de inclusão social", comentou Elenita. Ela observou também que o dinheiro que estas instituições usariam para comprar os produtos está sendo aproveitado na compra de remédios e até outros gêneros alimentícios que não são fornecidos pelos produtores. "A parceria está permitindo o resgate da identidade do agricultor, o saber dele no campo", acrescentou.

Nas visitas feitas às propriedades rurais, a coordenadora disse ter comprovado o interesse em produzir alimentos diversificados e de qualidade. Na manhã desta terça-feira (14), ela acompanhou a entrega de produtos na Central de Compras e Distribuição, que fica no prédio da Comissão Pastoral da Terra, na Avenida General Rondon, entre Tiradentes e Ladário. Conversou com os produtores, com a equipe da Fundação Terra Pantanal, coletando o máximo de informações, inclusive com fotografias dos mais diferentes produtos que estavam sendo entregues no local.

Hoje, 78 produtores rurais dos 300 cadastrados, estão entregando parte da produção diretamente à Central de Compras, a preços praticados no comércio local. Cada um pode vender até R$ 4,5 mil por ano. Tudo é distribuído gratuitamente às escolas e creches do município, bem como a 11 instituições filantrópicas conveniadas ao Conselho Municipal de Assistência Social. O programa começou ser desenvolvido em agosto deste ano, e já permitiu compra de cerca de 71 toneladas, direto do pequeno produtor rural.