Agentes e militares concluem força tarefa de combate à dengue

Agentes de endemias do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), além de militares da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro, concluem nesta quinta-feira (9) uma força tarefa nos bairros Aeroporto, Popular Nova e em pontos críticos da cidade, que permitiu a intensificação das ações de combate à dengue na região urbana de Corumbá. Os trabalhos foram iniciados nesta quarta-feira, com a previsão de visitar um total de 801 imóveis localizados em 31 quarteirões das localidades programadas.

A força tarefa é uma continuidade da mega operação de combate à dengue no município, desencadeada em outubro. Faz parte de uma parceria da Prefeitura de Corumbá com a Marinha do Brasil, por meio do 6º Distrito Naval, com sede em Ladário, que está comemorando a Semana do Marinheiro, com apoio do Exército Brasileiro. Além dos agentes de endemias, as ações estão sendo reforçadas por 40 marinheiros e 30 soldados do Exército.

"É uma intensificação das ações de combate à dengue nas áreas consideradas mais críticas e integra a programação da Semana do Marinheiro. Estamos também contando com apoio do Exército, que está nos dando suporte nas ações de prevenção à dengue desde outubro, juntamente com os fiscais da Vigilância Sanitária, na vistoria de imóveis de difícil acesso", explicou a médica veterinária Viviane Ametlla, gerente de Vigilância em Saúde da Secretaria Executiva de Saúde Pública, responsável pela mega operação.

A gerente relata que, desde quarta-feira, os integrantes das equipes estão encontrando uma grande quantidade de lixo nos imóveis visitados, apropriados para proliferação do mosquito Aedes aegypti, e reforça a necessidade de a população contribuir, mantendo a limpeza dos quintais para evitar uma nova epidemia. "Estamos com uma incidência de 1,65% de infestação predial com três tipos de sorotipo circulando, 1, 2 e 3. Nossa preocupação maior é com relação à dengue do tipo 3, principalmente pelo fato de a população estar suscetível ao vírus", reforça, lembrando que o índice atual deixa a cidade em estado de risco moderado e em alerta.