Dia da Consciência Negra marca busca pelas oportunidades iguais

"A igualdade ainda não chegou. No mercado de trabalho, na vida social. O negro ainda é descriminado. Só admitindo que há racismo no Brasil é que nos vamos combatê-lo", confessou o secretário executivo de Relações Institucionais e diretor-presidente da Fundação de Cultura e Turismo do Pantanal, Carlos Porto. O discurso sobre a necessidade de um debate mais amplo a respeito da descriminação racial no País e das políticas públicas implantadas em Corumbá para o negro integrou as atividades da Semana da Consciência Negra na cidade, realizada entre os dias 13 e 20 de novembro.

Ao falar sobre a realidade do negro no Brasil, Porto, que fez o discurso durante a solenidade que antecedeu a exibição do documentário A História de João Cândido – Líder da Revolta da Chibata, na última sexta-feira (19), ressaltou a visão da Administração do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) no sentido de valorizar as etnias. "Como integrantes do Poder Público, nós temos de ter essa responsabilidade, de ter um olhar para todos, mas também diferenciado em relação àqueles que mais necessitam", complementou.

Conforme o gerente de Promoção da Igualdade Racial, Edimir Moraes Abelha, muito já foi conquistado na luta pelos direitos do povo negro, mas ainda há barreiras a serem quebradas. "A sociedade brasileira não está acostumada a falar de igualdade social. Todos acreditam na falsa democracia de que todos são iguais, mas isso não é verdade, ou não estaríamos falando de nossas dificuldades", afirmou. Por outro lado, ele destacou a criação de uma gerência específica para a busca da igualdade racial. "O prefeito Ruiter teve a ousadia de criar uma gerência voltada às políticas públicas para o negro. Hoje conseguimos respeitar as diversidades religiosas, culturais e sexuais", acrescentou.

Organizadas pela Prefeitura de Corumbá, por meio da Subsecretaria de Ações da Cidadania/Gerência de Promoção da Igualdade Racial, ligada à Secretaria Municipal de Promoção da Cidadania, as atividades da semana foram voltadas para chamar a atenção da sociedade sobre a importância do tratamento e das oportunidades igualitárias, independente da cor da pele, preferência religiosa ou camada social. A programação incluiu batizado e troca de graduação em capoeira, a exibição e debate sobre o filme Kambara'ce em escolas, além de atividades culturais e educativas afro-brasileiras.

De acordo com a secretária municipal de Promoção da Cidadania, Maria Lúcia Ortiz Ribeiro, o dia 20 de novembro deve ser uma data marcada não somente pelas celebrações. "Foi importante a criação dessa data pois ela se torna um marco não só de comemoração, e sim de reflexão sobre a importância que tiveram os negros africanos na formação da cultura brasileira e, em particular de Corumbá, por meio dos aspectos religiosos, políticos, sociais e gastronômicos, entre outros", salientou.

Chibata

Integrando as atividades da Semana da Consciência Negra, o sobrinho-bisneto do líder da Revolta da Chibata, o engenheiro civil e de segurança do trabalho João Cândido de Oliveira Neto, participou na última sexta-feira (19) da exibição do documentário A História de João Cândido – Líder da Revolta da Chibata. Além do filme, ele proferiu uma palestra em que contou a trajetória de vida do principal nome daquele importante episódio da história brasileira, que aconteceu na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, então Capital Federal, entre os dias 22 e 27 de novembro de 1910.

A partir da história de luta pelos ideais de um personagem de suma importância para a garantia dos direitos humanos (entre uma de suas reivindicações estava o fim dos castigos corporais, resquícios do regime escravista abolido no País em 1888), Neto explicou o que a Revolta da Chibata representava ao povo negro da época. "Quero agradecer a Prefeitura de Corumbá pela oportunidade de estar aqui nesta semana para dar andamento aos trabalhos realizados pelos nossos irmãos do movimento negro no município. Por meio do resgate da figura de João Cândido, conseguimos debater a luta pelos nossos objetivos", comentou.

No Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez, continua a exposição itinerante da Fundação Banco do Brasil (FBB), com 16 painéis ilustrados e com texto contando a vida e a obra do "Almirante Negro". Cidade que tem a maioria da população negra, Corumbá celebra o dia 20 de novembro como o Dia da Consciência Negra. Em janeiro de 2009, o prefeito Ruiter sancionou a Lei Municipal nº. 2.084, de 19 de dezembro de 2008, que instituiu a data que marca a morte de Zumbi dos Palmares como feriado municipal.