Cravo Vermelho recebe debate sobre consciência negra hoje às 19h

O Centro Comunitário do Bairro Cravo Vermelho exibe, às 19 horas desta quarta-feira (17), o filme Vista Minha Pele, curta-metragem que estimula a discussão sobre racismo e o preconceito em sala de aula. Com duração de 15 minutos, o filme é uma divertida paródia da realidade brasileira, na qual os negros formam a classe dominante e os brancos foram escravizados. Os países pobres são Alemanha e Inglaterra, enquanto os países ricos são, por exemplo, África do Sul e Moçambique.

Maria é uma menina branca, pobre, que estuda num colégio particular graças à bolsa de estudo que tem pelo fato de sua mãe ser faxineira na escola. A maioria de seus colegas a hostiliza, por sua cor e por sua condição social, com exceção de sua amiga Luana, filha de um diplomata que, por ter morado em países pobres, possui uma visão mais abrangente da realidade.

Maria quer ser "Miss Festa Junina" da escola, mas isso requer um esforço enorme, que vai desde a superação do padrão de beleza imposto pela mídia, onde só o negro é valorizado, à resistência de seus pais, à aversão dos colegas e à dificuldade em vender os bilhetes para seus conhecidos, em sua maioria muito pobres. Maria tem em Luana uma forte aliada e as duas vão se envolver numa série de aventuras para alcançar seus objetivos.

Após a exibição do filme, que começa às 19 horas, haverá debate sobre o tema. A atividade integra a Semana da Consciência Negra de Corumbá, promovida pela Subsecretaria de Ações da Cidadania, ligada à Secretaria Municipal de Promoção da Cidadania, por meio da gerência de Promoção da Igualdade Racial. A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e a Liga Independente de Escolas de Samba de Corumbá (Liesco) apóiam o evento.

Revolta da Chibata

O principal tema da Semana da Consciência Negra será o centenário da Revolta da Chibata, movimento armado ocorrido entre os dias 22 e 27 de novembro de 1910, na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. Nesta sexta-feira (19), o neto do marinheiro João Cândido, o grande líder do movimento, participa da exibição do documentário A História de João Cândido – Líder da Revolta da Chibata.

A atividade está marcada para as 19h30 do dia 19, no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez. Após o documentário, João Candido Neto faz uma palestra sobre a vida do avô, com quem conviveu até a morte dele. Na mesma noite, uma Seresta Especial está marcada para a Praça da Independência.

João Candido

Sob a ameaça de bombardear a cidade, os militares da Mirinha exigiam o fim da aplicação de castigos físicos impostos a eles como punição, resquícios do regime escravista abolido do País em 1888. Ao fim da revolta, Cândido foi acusado de incitar o movimento e ficou preso em uma solitária do Batalhão Naval na Ilha das Cobras, antes de ser expulso da Marinha.

O "Almirante Negro", como ficou conhecido, morreu em 6 de dezembro de 1969, na cidade de São João do Meriti, aos 89 anos. Em 2008, o Governo Federal publicou a Lei 11.756 que concedeu anistia a João Candido e seus companheiros de arma.