Revista ‘materializa’ amor de padre Ernesto Sassida ao próximo

No auge dos 91 anos e com um trabalho em prol das crianças corumbaenses há mais de 50 anos, o fundador da Cidade Dom Bosco, padre Ernesto Sassida, comemora mais um ano de vida e continua a surpreender a todos pela garra e vitalidade. Agora, o religioso tem mais um material que reconta a sua vida, porém, desta vez por meio da linguagem jornalística. A revista Cidade Dom Bosco – 50 Anos Educando com amor retrata, com textos e fotos, a história de um personagem que doou a vida ao trabalho pelo próximo. A cerimônia de lançamento foi realizada na noite desta segunda-feira (19), Dia Municipal do Salesiano, no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez.

Todos os anos, são diversas as homenagens e solenidades que brindam à vida do sacerdote esloveno durante a segunda quinzena de outubro. A publicação de uma revista, além dos nove livros que recontam a história dele e da Cidade Dom Bosco, materializa e torna palpável uma trajetória marcada pelo amor ao semelhante e pautada pela busca incessante de fazer do mundo um lugar melhor. Escrita pelo jornalista Gesiel Rocha, gerente de comunicação da Prefeitura de Corumbá, a revista agora será distribuída em escolas e instituições dentro e fora de Mato Grosso do Sul.

O objetivo é homenagear um jovem que saiu da Eslovênia e chegou ao município pantaneiro, pela primeira vez, ainda em 1935. Na cidade, há meio século, ele fundou a Cidade Dom Bosco, instituição que já beneficiou mais de 25 mil crianças e jovens. "A revista é resultado de um longo trabalho de mais de cinco meses, tendo sido o maior desafio jornalístico da minha vida. O difícil foi colocar todo o conteúdo coletado sobre o idealizador da instituição em apenas 68 páginas", comentou Gesiel.

"A história de Corumbá está totalmente ligada à dos salesianos", disse padre Osvaldo Scotti, diretor da Cidade Dom Bosco, lembrando da importância do primeiro grupo que chegou a Corumbá em 1894 e toda a trajetória desses religiosos. Para o prefeito de Ladário, José Antônio Assad e Faria (PT), a obra física e social realizada por Padre Ernesto é, dentre todas as obras salesianas realizadas na região, "a mais brilhante e que mais sensibiliza".

O grande homenageado da noite, que teve trechos da sua vida revelados durante a apresentação da revista, fez o público derramar lágrimas ao contar do difícil momento quando se despediu dos pais e partiu para um distante país na América do Sul, longe da família que ficou na Europa, e do retorno à terra natal somente 30 anos depois. "Minha irmã levou ao seminário um papel assinado por minha mãe e me disse: ‘Ela assinou, mas disse que neste papel está assinada a morte do filho'", revelou. Quando visitou novamente a Eslovênia, foi até o local onde estavam enterrados os pais. "Pedi perdão por todo o sofrimento que os fiz passarem. Olhei para a foto da minha mãe e disse, que apesar de todo amor que eu não tive dela, por conta da distância, fui agraciado e amado por milhares de crianças", completou.

Para o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), o lançamento da revista é mais um reconhecimento do imenso trabalho do padre salesiano. "É uma forma de consolidar os 50 anos do sonho idealizado pelo padre Ernesto. Este trabalho, em especial, materializa toda a trajetória de vida deste importante personagem", declarou. Foram impressos 8 mil exemplares, que serão distribuídos nas escolas de Corumbá e em outras cidades.