Em quatro meses, nova gestão mudou realidade da Santa Casa

Assim que assumiu a administração do Hospital de Caridade de Corumbá, a Junta Interventora nomeada pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT) começou o trabalho de reestruturação do hospital. As reformas da Central de Material Esterilizado e do Laboratório foram iniciadas imediatamente e já estão concluídas. Ambas custaram R$ 83 mil reais, recursos advindos do pedágio na rodovia Ramão Gómez. Os projetos para reforma da recepção e construção da UTI Neonatal (Unidade de Tratamento Intensivo) estão prontos e as obras devem começar em breve.

Na parte nutricional, os administradores viabilizaram a regulação do estoque de alimentos para uma alimentação saudável, de acordo com orientação da uma nutricionista. Houve também a padronização da qualidade, com implantação de cardápio variado. Isso porque, até a intervenção, eram fornecidos quatro tipos de alimentação: para o paciente particular, para o médico plantonista, para os funcionários e para o paciente do SUS, sendo que para cada tipo de alimentação existia uma cozinheira diferente. Ou seja, a pior alimentação era para o paciente do SUS.

Com as medidas implantadas, o custo da alimentação foi reduzido em cerca de 20%. Isso ainda sem contabilizar as doações do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), por meio da Compra Direta Local com Doação Simultânea, desenvolvido pela Prefeitura de Corumbá, por meio da Fundação Terra Pantanal, e outros donativos de pessoas e entidades da sociedade civil.

Recursos humanos

A Junta Interventora tem realizado constantemente reuniões com todas as equipes que trabalham na Santa Casa, permitindo a exposição as idéias e a aproximação entre os funcionários, objetivando a colaboração coletiva para resolução dos problemas. As reformas e adequação dos espaços utilizados pelos servidores, como é caso do vestiário e do setor de limpeza, foram feitos imediatamente.

Dentro da política de valorização dos servidores da instituição, o pagamento dos salários está ocorrendo todo último dia útil de cada mês e, além disso, foi restabelecida a entrega de mensal do vale-transporte. Segundo depoimentos dos funcionários, o benefício não era fornecido há mais de quatro anos. Ainda na questão salarial, a Junta colocará em dia, no máximo até o início da próxima semana, o repasse de convênio com os médicos, que estava atrasado há mais de um ano.

Também faz parte do processo de reestruturação a contratação de novos enfermeiros com curso superior e do serviço de gasometria em regime de comodato (que há mais de cinco anos não existia no hospital). O analisador sanguíneo I-Stat Aboot Point of Care é um dos mais modernos existentes no mercado e é capaz de mensurar, em no máximo dois minutos, parâmetros de gasometria completa, bioquímica e coagulação sanguínea.

Estrutura

No período de 12 de maio a 12 de setembro, foi promovida a aquisição de produtos adequados à lavagem e desinfecção da rouparia; adequação do quadro de funcionários e instalação de ar condicionado; elaboração de um projeto de adequação, manejo e reciclagem do lixo hospitalar, com a Secretaria Executiva de Meio Ambiente, Gerência de Vigilância Sanitária e a Secretaria Executiva de Infraestrutura, Habitação e Serviços Urbanos.

Foram realizadas também a manutenção e reforma de 20 camas hospitalares que estavam abandonadas, juntamente com as macas, suportes de soro e outros aparelhos. O custo da reforma foi de R$ 5 mil, uma economia de aproximadamente R$ 20 mil, que seria o valor pago na aquisição de novas camas. Os administradores providenciaram a revisão completa da usina de oxigênio, custo superior a R$ 20 mil. E o valor só foi tão elevado porque, na administração passada, não foi realizada a manutenção preventiva. Durante o período em que a usina ficou no conserto, foram gastos mais de R$ 26 mil na aquisição de oxigênio.

Durante a prestação de contas, realizada na tarde desta segunda-feira (4) no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez, a Junta informou que já solicitou o alvará sanitário à Secretária de Estado de Saúde, como também a autorização para compra de medicamentos necessários ao atendimento hospitalar. Outro pedido providenciado foi o alvará sanitário para a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (UNACOM).

A Junta informou ainda que as multas trabalhistas estão sendo pagas e parte dos termos de ajustes está sendo cumprido. Graças ao Termo de Ajuste Judicial (TAJ), assinado pelas Prefeituras de Corumbá e Ladário e a Secretaria Estadual de Saúde, foi possível renegociar com Ministério do Trabalho um prazo maior para o cumprimento de decisão judicial no que diz respeito à contratação de adolescentes aprendizes e portadores de necessidades especiais.

Todos os dados constam no relatório resultante da auditoria referente ao ano de 2008, que já foi encaminhado ao Ministério Público Estadual. Os números de 2009 até maio deste ano, momento em quando a Junta assumiu a gestão da Santa Casa, serão entregues até o fim deste mês. A prestação de contas é uma das exigências do TAJ e deve ser realizada a cada dois meses.