Donos de animais recolhidos tem três dias para procurar o CCZ

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Corumbá reforçou o trabalho de captura de cães e gatos soltos nas vias públicas da cidade. Desde a semana passada, dois veículos do tipo carrocinha percorrem os bairros da cidade, com apoio da Guarda Municipal, fazendo o recolhimento dos animais que vagam pelas ruas. Em média, 30 animais são levados para a sede do órgão por semana. O serviço é efetuado duas vezes por semana, sempre nas manhãs das terças e quintas-feiras.

Os proprietários que tiverem os bichos capturados e quiserem recuperá-los terão, no máximo, três dias úteis para fazê-lo. Eles devem procurar o CCZ, localizado na Rua João Couto, s/nº, bairro Guanã, próximo à Escola Municipal Clio Proença, munidos da carteira de vacinação anti-rábica do animal, além do documento de identidade do responsável e um comprovante de residência. Eles ainda devem assinar um Termo de Posse Responsável. "Os animais que não forem reclamados serão submetidos à eutanásia, porque o vírus da raiva ainda está circulando na região, embora o último caso confirmado na cidade tenha ocorrido em julho de 2008", explicou a chefe do órgão, Grace Bastos.

Sobre a campanha de vacinação anti-rábica, Grace informou que a imunização continua suspensa, atendendo orientação do Ministério da Saúde. A determinação atinge todo o País e foi tomada após resultados preliminares de investigação laboratorial informados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), realizada com cobaias, que indicou a ocorrência de efeitos graves e mortes depois da vacinação que, até então, não eram previstos na literatura científica disponível.

Com base nesses resultados, como medida cautelar, o MAPA recomendou a interrupção temporária do uso da vacina, até que a investigação laboratorial seja concluída. "Na cidade, foram registrados algumas reações, mas nenhuma grave. Os agentes visitaram todas as casas onde os cães já haviam sido vacinados", afirmou a responsável pelo CCZ.

Em Corumbá, a vacinação foi iniciada no dia 5 e cerca de 1,5 mil animais foram imunizados. Entre os efeitos que não eram previstos e que foram observados estão hemorragia, dificuldade de locomoção, hipersensibilidade de contato e intensa prostração. Vale ressaltar que os resultados laboratoriais preliminares indicam alterações ocorridas apenas nas amostras colhidas nos estados. Essas alterações não haviam ocorrido nos testes iniciais feitos pelo MAPA para a liberação da vacina, nem na contraprova de amostras mantidas em estoque.