Galerias de águas pluviais põem fim às inundações em Corumbá

Um drama vivido pela população de Corumbá no início dos anos 90 e no fim de 2004 e início de 2005, em períodos de fortes chuvas, está próximo do fim. Além das obras de drenagem e pavimentação asfáltica realizadas em diversos bairros, a Prefeitura Municipal está investindo R$ 5,1 milhões na implantação de uma galeria de águas pluviais que vai permitir a ligação da parte alta da cidade ao Rio Paraguai. Os serviços estão sendo executados com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal, com contrapartida do município.

A galeria tronco em implantação será a responsável direta pela captação de água pluvial da parte da região alta da cidade. Será interligada à galeria do Cristo Redentor, que foi ampliada no início da administração do prefeito Ruiter Cunha de Oliveira (PT), e à existente no centro da cidade, na Rua Tenente Melquíades de Jesus, ao lado da Escola Tenir.

De acordo com o prefeito, a obra é de extrema importância para acabar com a sobrecarga da galeria existente na Rua Antônio João e de outras regiões da cidade, como os bairros Centro América, Maria Leite, Previsul e bairros localizados nas imediações. Os serviços foram iniciados pela Rua Tenente Melquíades, passaram pela Colombo e estão agora na Geraldino Martins de Barros, antiga Oriental. A galeria terá uma extensão de 900 metros, com diâmetros de 2,5 por 2 metros.

O projeto prevê ainda uma segunda galeria na Rua Luís Feitosa, passando pela Duque de Caxias até a Joaquim Wenceslau de Barros. Toda a água captada será conduzida por meio de um canal, à beira do trilho, e interligado à galeria do Aeroporto Internacional. Uma terceira galeria tronco será implantada a partir da Rua José Fragelli, do trilho até o bairro Popular Nova, beneficiando também as localidades do Jardim dos Estados, Aeroporto, entre outros bairros.

Os recursos garantem também a recuperação do pavimento asfáltico das ruas que estão sendo atendidas com as galerias, que estarão interligadas à rede de drenagem que a Prefeitura executa atualmente na cidade, com recursos próprios e do PAC.